GLOSSÁRIO DO SURF

Se você jogar a palavra surf no Google tradutor e ficar brincando de mudar as línguas você verá que em mais de 90% dos casos [com exceção dos idiomas que você nem tem ideia como se pronuncia] a palavra SURF não muda. Contudo, existe um universo extenso de mais de 150 palavras que vão ajudá-lo a ficar cada vez mais expert na sua paixão. Esse glossário é único porque as palavras estão distribuídas em temáticas para facilitar sua assimilação.

[Dica: se não quiser ler até o final e quiser saber o significado de uma palavra específica basta apertar CNTRL + F [Se estiver conectado em um PC] ou COMMAND + F [Se estiver conectado em um MAC] e digitar a palavra que você quer saber o significado, assim você verá ela selecionada] Ou confira a versão desse glossário em ordem alfabética.

5fcb450a9f1b45c3b0a8447106d1fda8.jpg

EQUIPAMENTOS:

Parafina: Tablete de cera que é utilizada na prancha para proteger e aumentar o atrito: ajudando a manter a aderência dos pés do surfista.

Wax: Anti-derrapante [base da parafina] para que o surfista não escorregue.

Raspador [pente]: Acessório para raspar a parafina que se acumula na prancha.

Quiver: Um conjunto de pranchas, com comprimentos e formatos distintos para os diferentes tipos de onda.

John [Veste ou Roupa Borracha]: Roupa de neoprene para proteger o corpo do frio ou água gelada. Pode ser colete sem marga, com manga curta [Short John] ou com manga cumprida [Long John, wetsuit ou sleeve]. Pode ser masculina ou feminina.

Lycra: Camiseta de lycra ou neoprene usada para surfar. Pode ser masculina ou feminina.

Leash [chop, cordinha, estrepe ou strep.]: Acessório elástico que prende a prancha ao pé [tornozelo] do surfista.

Strep: Surporte colocado em pranchas para prender os pés para quem surfa ondas gigantes como Tow In.

Lupa: Óculos de Sol

Rack: Suporte para carregar pranchas [existente em carros, motos e bicicletas]

Surfwear [surf shop]: Loja que vende roupas, equipamentos e apetrechos de surf.

Surf Brands: Marcas que criam/vendem roupas, equipamentos e apetrechos de surf.

PRANCHA:

Bico [Nose]: É a parte da frente de uma prancha. Nas tradicionais é a parte que tem menos contato com a água, nas mais cumpridas [longboard] ajuda a gerar estabilidade.

Astrodeck [ou antiderrapante]: Borracha aderente que é colada na prancha para ajudar a fixar os pés. Normalmente posiciona na parte de trás da prancha para gerar mais firmeza nos pés.

Deck: Superfície superior da prancha [onde o surfista pisa]

Outline: Linha externa da prancha que determina seu formato.

Copinho: Parte da prancha onde se fixa o leash [próximo a rabeta]

Bloco: Estrutura da prancha [normalmente de isopor ou poliuretano]. Por onde o shaper começa a produzir a prancha.

Borda: Partes laterais da prancha que cortam a água e controlam as viradas e a saída.

Wedge: É a linha da virada da borda que serve para a prancha quebrar mais a linha da onda. O acentuado é indicado para ondas cavadas e o convencional para gordas quando se quer manobrar de maneira mais suave.

Rabeta [Bottom ou tail]: Parte do fundo da prancha onde ficam as quilhas que tem o maior contato com a água [a maioria das pranchas possui fundo côncavo]

Laminação: É a terceira etapa na fabricação de uma prancha, consistindo na aplicação de uma camada de fibra de vidro e resina que reveste todo o bloco, conferindo consistência e flexibilidade, pode ser forte, fraca ou média.

Biqueira [needle nose]: Proteção colocada no bico da prancha para amortecer eventuais batidas em surfistas ou banhistas.

Monoquilha [Single fin]: Pranchas que possuem apenas uma quilha, normalmente longboards e guns, proporciona manobras mais abertas e maior aderência da prancha.

Biquilha [Twin fin]: Prancha com duas quilhas, útil para ondas pequenas onde se necessita menos de controle e precisão.

Triquilha [Thruster]: Prancha com três quilhas desenvolvida no final da década de 70 que proporciona uma melhor performance e grande versatilidade. Usada na maioria das pranchas com exceção das grandes.

Wide Point: É o ponto onde se encontra a largura máxima de uma prancha de surf. Pode coincidir com o centro: oferecendo equilíbrio entre manobra e direção. Pode estar atrás do centro: ajudando a produzir manobras mais suaves com as trocas de borda mais rápidas. Ou pode estar a frente do centro: deixando a prancha mais dura para manobras mais abertas.

Maderites: Como eram chamadas as primeiras pranchas de madeira compensada fabricadas no Brasil [nos anos 50 ]

Gun: Estilo de prancha concebida para uso em ondas grandes.

Longboard [pranchão]: Prancha com mais de 9.5” [e também uma modalidade que permite um surf mais clássico] , normalmente são monoquilhas e possuem uma área de meio em torno de 22.5” [cerca de 60cm], bordas arredondadas e bico largo. Ideal para ondas de meio metro a um metro. São as mais indicadas também para iniciantes.

Paddle Board [Stand Up Paddle Board]: Pranchas utilizadas no surf de remada pode chegar a ter 4 metros de comprimento.

Longarina: Madeirinha que vai no meio do bloco da prancha que oferece mais firmeza e evita que a prancha quebre.

Squash: Tipo de rabeta ideal para ondas cheias médias ou pequenas para pranchas de tamanhos semelhantes. Proporciona bastante precisão e tem uma resposta melhor para manobras redondas.

Swallow [Rabeta peixe]: Tipo de rabeta de prancha aberta no centro [lembra um rabo de peixe]. Quebra a linha da onda e gera uma saída de água forte, o que possibilita fazer manobras rápidas de arcos menores. Normalmente usada em ondas gordas e cheias para quem busca sustentação e agilidade.

Wings: Tipo de rabeta [semelhante ao swallow]. Por conta de sua quebra mais acentuada, aumenta a pressão e fornece mais velocidade a prancha, permitindo a troca de bordas e espaços reduzidos. [comum em pranchas pequenas e largas]

Toco: Prancha velha. Independente do tamanho.

Tecar: Amassar ou machucar a prancha [tirar um teco]

Concave/Double Concave ou Flat: Tipos de fundo de prancha [ficam na rabeta, entre as quilhas da frente] e facilitam/dificultam a passagem de água dando mais ou menos velocidade para a prancha.

a27afd1b2a21a6b7d00b54ae00c80959.jpg

 

PERSONAGENS DA ÁGUA:

Surfista: Pessoa que pega ondas [desliza sobre as águas]

Dog: Surfista

Shaper: Profissional que produz pranchas

Big Rider: Surfista de ondas grandes

Free Surfer: Surfista que não participa de campeonatos.

Prego: Pessoa que surfa mal.

Pró: Surfista profissional, ou amador que surfa muito bem.

Maria Parafina: Mulher que curte ficar com surfistas.

Maroleiro [merrequeiro]: Surfista que gosta de ondas pequenas.

Sufrista: Não sabe surfar, mas se acha o melhor na água, fica falando demais e surfando de menos.

Grommett: Surfista jovem [10 a 12 anos]

Surfista Executivo: Classificação criada para os surfistas do dia a dia que normalmente não moram na praia, que possuem uma profissão não ligada ao esporte e circulam em ambientes de negócios.

Surfista Realizado: Classificação criada para os surfistas que adoram a natureza, não sugestionáveis e que tem forte ligação com espiritualidade e movimento de contemplação.

Surfista Adrenalizado: Classificação criada para os surfistas motivados pelo esportes radicais, de vida agitada e que gostam de viver o presente.

Regular [pé natural]: Posição do pé esquerdo à frente [mais comum].

Goofy [ou goofy-foot]: Um surfista que usa o pé direito à frente e o esquerdo atrás [o “canhoto” do surf]

Switch Stance: Surfista que consegue trocar sua base, ficando regular ou goofy.

Local: Surfista que mora/vive/nasceu na praia onde está surfando.

Haole [Hoole] ou forasteiro: Pessoa de fora que não é local.

Casca-grossa: Surfista corajoso e habilidoso quando as condições do mar estão muito difíceis [mexido ou com ondas grandes].

Rabeador [rabeão ou queixão]: Surfista que entra em uma onda que já está sendo surfada por outro e acaba atrapalhando.

Tube Riber: Surfista que é bom em tubos [ondas tubulares]

Water Patrol: Salva-vidas [seguranças dos eventos marítimos]

Waterman [Filhos da maré]: Pessoa que vive na água, seja para surfar, mergulhar, remar ou salvar vidas. Aquele que vive da água e para água. 

MAR:

Flat [colado]: Mar calmo, liso e sem ondas.

Lip da onda: Parte alta da onda

Arrebentação [Rebentação; quebra-coco]: Ondas que quebram perto da praia

Crista: Topo da onda

Bolsa da onda [Pocket da onda]: Parte que fica em frente a crista, onde a onda é inclinada.

Base da onda: Local onde o surfista realiza a cavada para ganhar velocidade e realizar outras manobras.

Parede: Onde você efetivamente surfa. Parte de trás de onda que ainda não quebrou e sustenta a crista – transição entre a crista e a base.

Boa formação: Mar com ondas que se formam e proporcionam boas condições para a prática do surf.

Crowd: Grande quantidade de surfistas dentro da água.

Swell: Ondulação formada por tempestade ou ventos no oceano.

Bomba [Morra]: Onda enorme, assustadora.

Line-Up: A área fora da rebentação [outside], onde os surfistas ficam esperando pela onda.

Fora: Dentro ou no fundo do mar

Marola: Ondas pequenas

Onda Gorda: Uma onda que quebra mais lentamente – boa para manobrar e ruim para tubos.

Mar “fechando”: Quando a onda não forma parede: ela sobe e quebra, impossibilitando a prática.

Outside: Parte do mar [mais pro fundo], onde as ondas ainda estão se formando.

Pico: A parte mais elevada da onda, que geralmente se “empina” e quebra primeiro. Ou lugar dentro d’água onde tem ondas.

Série: Sequência de ondas que surge no mar.

Tubo do mar [Barrel]: Corredor cilíndrico e oco formado pela crista enquanto a onda quebra [ângulo de mergulho com mais ou menos 60 graus]

Inside [arrebentação ou zona de impacto]: Ondas perto da costa

Mexido [Storm]: Mar desordenado

Bone Crusher: Onda enorme que rebenta/quebra com tremenda violência.

Beck Wash: Onda que vem no sentido contrário da arrebentação.

Canal: É uma corrente por onde as águas das ondulações voltam para o oceano. É normalmente o caminho que os surfistas escolhem para ir para o outside [já que os ajuda a remar para o fundo]

Coco: Onda muito cavada que quebra por inteiro sem abrir para lado nenhum

Shore Break: Ondas ocas que quebram rapidamente.

Spray: Ar que é expelido da onda porque estava comprimido nela. Normalmente ocorre em tubos.

Wave: Onda.

PRAIA:

Banco de areia: Formação de areia que faz a onda quebrar.

Bancada [ou reef]: Fundo do local onde quebram as ondas.

Bancada Beach Break: Praia com fundo de areia e cercados de valas. Os bancos de areia se modificam de acordo com as correntes, chuvas e ventos fazendo com a quebra de ondas aconteça cada hora em um lugar e com formatos diferentes. Exemplos: Barra da Tijuca [RJ], Hossegor [França], Puerto escondido [México] e a maioria das praias brasileiras.

Bancada Point Break: Praia com fundo de pedra que possui fundos constantes fixos que só dependem de uma boa ondulação, ondas que quebram sempre no mesmo lugar. Exemplos: Praia do Silveira [Santa Catarina] Backdoor [Bahia] e Mavericks [Estados Unidos], Burleight Heads [Australia].

Bancada Reef Break: Praia com fundo de coral. Exemplos: Praia do Forte [Bahia], Pipeline [Hawaii]

Praia de Tombo: Uma praia com fundo de areia inclinada que tem a quebra das ondas próxima a parte rasa.

VENTO:

Maral [on shore]: Vento que vem do mar.

Terral [off shore]: Vento que vem da terra para o mar [costuma melhorar a onda]

Ladal [cross shore]: Vento lateral a praia

GÍRIAS GERAIS:

Base: Maneira como o surfista se posiciona na prancha, posicionamento dos pés.

Altas: Coisas boas e grandes [altas ondas; altas gatas]

Épico: Utilizada para fazer referência a um dia de altas ondas e bom surf.

Cair: Surfar/entrar na água.

Quedas [caídas ou banhos]: Números de vezes em que o surfista entrou na água e ficou por lá durante um período surfando. [Exemplo: Fizemos duas quedas, uma cedinho e outra depois do almoço].

Zero Hora: Horário muito cedo [normalmente madrugada] em que os surfistas saem para surfar.

Caldo [ou vaca]: Cair da prancha e rodar junto com a onda embaixo d’água

Adiantar: Ganhar velocidade para se distanciar da onda.

Botar para baixo [dropar]: É o ato de descer uma onda sem hesitação.

Pico: Local onde começa a quebrar a onda ou onde a galera se encontra.

Brother [Brô]: Amigo, camarada

Aloha: Saudações [em havaiano]

Shaka: Está tudo bem [em havaiano]

Amarelar [pipocar ou peidar]: Ficar/Estar com medo e fugir.

Armar: Montar todos os componentes que fazem parte da prancha [quilhas, leash]

Localismo: Preconceito e desrespeito dos surfistas locais para com os surfistas não nascidos/criados na praia.

Larica: Matar/Sentir a fome [muito falada por quem fuma maconha]

Kaô [Caô]: Papo furado/mentira.

Crowd: Mar cheio de surfistas.

Rip: Estar em sua melhor forma, em excelentes condições.

Secret Point: Onde secreta que todo surfista acha que só ele conhece. Lugar exclusivo e muitas vezes escondido.

Surftrip: Viagem para um local de ondas com objetivo de surfar o máxim0 de tempo possível.

Varrer: Quando uma serie ou onda grande pega os surfistas desprevenidos no outside e “varre” eles do local.

Zerada: Prancha [ou qualquer coisa] nova

Search: Buscar ondas no mar.

da1ac2f4c0527a1238f0b96f01b01ba6.jpg

NOS CAMPEONATOS:

ASP: Sigla da Association of Surfing Professional – órgão máximo do surf profissional a nível mundial, organizador dos campeonatos WCT/WSL.

WPS: Sigla de World Profissional Surf, liga da elite mundial de surfe que defende seus interesses desde 2002.

WCT [atual WSL]: Sigla de World Championship Tour – campeonato mundial anual com cerca de 10 etapas e premiação mínima de U$100.000,00 [dólares]. Primeira divisão onde participavam 44 melhores surfistas do mundo.

WSL: Sigla de World Surfer League – campeonato mundial anual [antigo WCT] que agora comporta apenas os 32 melhores surfistas do mundo.

WQS: Sigla de World Qualifying Series – divisão de acesso onde os surfistas se classificam para participar de campeonatos.

WLT: Sigla de World Longboard Tour – circuito mundial para a elite dessa categoria.

Tour: Forma de fazer referencia ao período do campeonato mundial.

Alternates: Surfistas que podem participar de determinas competições na falta de outro inscrito/participante.

Prioridade: Termo de competição. Quando uma bateria de um campeonato começa ninguém possui vantagem, quem tiver o melhor posicionamento na onda escolhida ou estiver em torno de uma boia de prioridade pode entrar e começar a surfar. É a preferência do surfista para pegar a melhor onda da série.

Interferência: Quando o surfista entra em uma onda e não está em prioridade [mesmo que seu posicionamento seja privilegiado] e atrapalha seu competidor [que está com a prioridade]

Expression Session: Campeonato que elege a melhor manobra dos competidores.

Isa: Sigla da Onternation Surfing Association – órgão que rege o surf amador mundial.

Master: Categoria para os surfistas acima de 35 anos.

Legend: Categoria para os surfistas acima de 45 anos.

Lay Day [Day Off]: Quando o mar não está com condições boas para o campeonato e os organizadores optam por adiar as baterias do dia.

Janela: Período de normalmente 12 dias em que as baterias de uma etapa do campeonato podem acontecer, tudo dependerá das condições do mar. O campeonato pode acabar em 3 dias.

Wild Card: Surfista que disputa um evento como convidado sem classificação. Apenas passar por uma triagem [qualifying] antes da disputa.

Triple crown [Triplice Coroa]: É uma série de 3 competições [Pipeline master’s, Hawaii Pro e World Cup] realizada no Hawaii anualmente e que encerra o circuito mundial de surf. Quem somar mais pontos nas últimas 3 etapas é o vencedor. 

MANOBRAS [MANOBRAS EM GIFS!]:

Furar a onda [joelhinho]: Enquanto o surfista rema, ele segura a borda da prancha com as mãos impelindo-a pro fundo com a ajuda de um pé ou do joelho na parte de baixo da prancha. Outros nomes: mergulho de pato, golfinho, peixinho, submarino e duckdive.

Backside: Executar manobras de costas para onda.

Frontside: Executar manobras viradas para a onda.

Drop/dropar: Descer a onda da crista até a base

Kick-out [retirada/tirada]: Um método de terminar os movimentos posicionando a prancha para cima e saindo por trás da onda quando ela fecha, voltando para o outside.

Cutback [cortar a onda]: Virada executada na parte cheia da onda. [Surfista volta na direção contrária da onda e depois retorna na direção normal]

Floater: Reentrada na onda lançando a prancha por cima da crista da e acompanhando [flutuando] a cortina de espuma gerada pelo fim da onda.

Aéreo: Envolve o lançamento da prancha por cima da crista da onda com velocidade, elevando-a no ar e caindo novamente sobre a onda.

Batida [off-the-lip]: Depois de realizar uma cavada na base da onda o surfista sobe sua parede e bate com a parte de baixo da prancha contra a crista deixando a prancha [principalmente a rabeta] sair pra fora da onda. Outros nomes: pedrada, paulada, snap e tijolada.

Cavada [bottom turn ou carving]: Quando o surfista faz uma curva na base da onda em direção a crista [parte de cima da onda].

Rasgada: Depois da cavada o surfista vai em direção a crista, mas antes de chegar lá usa força e agilidade para mudar de direção e trocando de borda, voltando para a base.

360 ou 3 meia: Manobra onde o surfista faz uma volta completa em torno de si mesmo.

Vaca [wipe out]: Cair da onda [pode envolver perigo e normalmente é no momento mais importante ou crítico da onda]

Rabear: Entrar na onda que já tem um surfista

Tubo [entubar]: Manobra em que o surfista fica dentro da onda no momento em que ela quebra [uma das mais clássicas do esporte e mais valiosa em termos de pontuação em uma competição]

Dogdoor: Sair da onda pela espuma/cortina [parte branca]

Grab rail: Manobra que o surfista coloca a mão na borda da prancha para pegar um tubo de back side.

Hang Five: Manobra realizada em uma prancha de longboard que se executa quando o surfista caminha sobre a prancha colocando os 5 dedos do pé para fora do bico como se estivesse em um trampolim.

Hang Ten: Manobra realizada em uma prancha de longboard que se executa quando o surfista caminha sobre a prancha colocando os 10 dedos dos pés para fora do bico como se estivesse em um trampolim.

Conectar: Passar de uma sessão para outra na mesma onda.

DERIVADOS DO SURF:

Tow in [Tow surfing]: Prática mais extrema do surf, em ondas grandes ou gigantes acessadas via helicóptero ou jet-ski.

Stand Up: Deslize sobre as água com prancha grande e remo. Pode ser praticado quando mar está flat/liso ou para surfar.

Kite Surf: Prática do surf que utiliza uma pipa presa ao tronco do praticante, é preciso de vento para conseguir executar.

Skim Board [sonrisal]: Tipo de surf praticado em beira de rios ou em praias, em pequenas ondas, com pranchas pequenas e arredondadas.

Skysurf: Modalidade de esporte com prancha praticado no espaço e com para-quedas – o surfista salta de um avião e faz manobras antes de abrir o para-quedas.

Tandem Surf: Praticado por duas pessoas em uma mesma prancha.

Wakeboard: O surfista e sua prancha são puxados por uma lancha e realizam manobras nas ondas ou nas marolas produzidas pela própria lancha. Pode ser praticado em lagos ou mar.

Windsurf [sailboard]: Praticado com pranchas e vela tanto em lagoas como no mar.

Adapt Surf: Uma ONG que promove inclusão social das pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, garantindo igualdade de oportunidade e acesso ao lazer, esporte e cultura através do contato direto com a natureza.

OUTROS:

Noaa: Sigla de National Oceanic and Atmospheric Administration. Entidade norte americana que recebe informações das boias espalhadas por todo o arquipélago havaiano sobre as oscilações oceânicas prevendo a chegada de swells e indicando o lugar onde vão quebrar as melhores ondas.

Surfrider fundation: ONG mundial que luta pela preservação das praias, dunas e seus habitats. Primeira organização ambiental de surf.

Pés: Medida inglesa utilizada no surf para medir pranchas e ondas. [Em centímetros: 30 – Em polegadas: 12]

Surf Report: Jornalista ou surfista que fornece informações sobre o mar, suas condições e tempo.

Wave Bus: Ônibus especial para transporte de surfista e banhista para as praias. [No Brasil já existe para Santos e Floripa].

Fontes:

CLICRBS
LITORAL NORTE
TRABALHO SURF
RICO SURF
GLOBO ESPORTE

 

  28 comments for “GLOSSÁRIO DO SURF

  1. 12 de Dezembro de 2015 às 14:47

    I am sure this article has touched all the internet visitors, itts really really pleasant paragraph on building up new blog.

    Gostar

  2. 17 de Dezembro de 2015 às 17:42

    Incredible points. Soliid arguments. Keeep up the grreat spirit.

    Gostar

  3. 18 de Dezembro de 2015 às 21:09

    Greate pieces. Keep writing such kind of info
    onn yoour site. Im really impressed by your site.

    Hey there, You’ve done a fantastic job. I wjll definitely digg it
    and for my part suggest to my friends. I’m confident they will be benefited from
    this website.

    Gostar

  4. 4 de Janeiro de 2016 às 13:11

    Hello friends, fastidious post and nice arguments commented here, I am really enjoying by these.

    Gostar

  5. 4 de Janeiro de 2016 às 13:14

    Have you ever considered about including a little bit more than just your articles?
    I mean, what you say is fundamental and all. However imagine if you
    added some great photos or video clips to give your posts more, “pop”!
    Your content is excellent but with pics and video clips, this blog could certainly be one of the most beneficial in its niche.

    Good blog!

    Gostar

  6. 12 de Janeiro de 2016 às 12:16

    Great article, exactly what I wanted to find.

    Gostar

Go For It!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: