Mês: Janeiro 2016

OS DOZE FOTÓGRAFOS DE SURF MAIS INCRÍVEIS DO MUNDO PARA VOCÊ SEGUIR!

MOVIMENTE O SAL EM SUAS VEIAS! E mesmo quando não der para surfar, não deixe de se conectar com esse mundo líquido.

Selecionamos 12 perfis de Instagram para você seguir, se impressionar e estimular a salinidade que corre em suas veias [A ordem abaixo não está determinada por qualidade].

Clark Little

Captura de Tela 2016-01-31 às 18.58.20.png

Zak Nolye

Captura de Tela 2016-01-31 às 18.58.31.png

Brian Bielmann

Captura de Tela 2016-01-31 às 18.58.50.png

Leroy Bellet

Captura de Tela 2016-01-31 às 18.59.59.png

NICARÁGUA – DIA 6

foto 1.JPG

Saímos do conforto do Hotel do Rancho Santana e fomos para uma casinha MUITO mais simples. Onde a água era salobra e tinha cheiro de enxofre. O ar-condicionado do novo quarto mais parecia um trator e a escada de acesso era de quase 90 graus, imagina a facilidade de subir com todas as pranchas – que delícia!

foto 2.JPG

Mas vocês devem estar perguntando PORQUE fizeram essa troca?

foto 3.JPG

A resposta é simples: O surf na frente de casa.
Se alguma dessas coisas incomodou? Não deu tempo, era surf o dia inteiro.

foto 4.JPG

Um pouco dos dias anteriores:
Dia 5
Dia 4
Dia 3
Dia 2
Dia 1 

EU TENHO VONTADE DE SURFAR QUANDO…

3 2.jpg

Eu tenho vontade de surfar…
O dia inteiro, o dia todo. Logo quando acordo, logo depois do almoço e antes de dormir.

Eu tenho vontade de surfar…
Quando sinto o gosto da manhã na minha boca, enquanto seguro a escova e muitas vezes quando a tampa da pasta de dente cai no ralo.
Quando entro no banheiro, enquanto tomo banho quente, morno ou frio, nos momentos em que lavo as mãos e também enquanto fico reparando se a água da descarga gira no sentido horário ou anti horário.

Eu tenho vontade de surfar…
Quando estou dirigindo para o trabalho, quando estou na estrada ou quando caminho para ir almoçar.

Essa vontade me perturba em todas as refeições e tenta me desviar das conversas que costumo ser e eu só preciso fechar os olhos para começar a escutar o barulho do mar. Ela vem quando estou escrevendo, desenhando, contando uma boa história ou argumentando. Ela domina os segundos, humilha os minutos e confunde meus dias e e horários, fazendo com que meus planos de acordar zero hora se tornem cada vez mais frequentes, meio metrinho já me convence.

Eu acreditava que só havia um momento do dia quando eu não tinha vontade de surfar, que era aquele momento quando eu estava surfando mas…

ME ENGANEI!

 

REGULAR OU GOOFY?

Pra começar vale lembrarmos o que significam as nomenclaturas Goofy e Regular quando falamos da base do surfista em cima da prancha:

GOOFY: Surfista que coloca o pé direito na frente e se apoia no pé esquerdo para surfar.
REGULAR: Surfista que coloca o pé esquerdo na frente e se apoia no pé direito para surfar.

Apesar do pé que fica na frente, o que “lidera” os movimentos é sempre o pé que fica na parte de trás. E assim como quando falamos das mãos – temos mais REGULARES [“destros”] – 70% da população – do que GOOFYS [“canhotos”] – cerca de 30% da população.

Dizem que essa diferença é justificada principalmente porque o pé direito é controlado pela metade esquerda do cérebro – o hemisfério responsável pela consciência espacial – o que acaba por auxiliar no controle da prancha. E o nome Goofy foi retirado do cartoon da Disney [pateta em português] no filme de 1937 Hawaiian Holiday, onde o personagem surfava com essa base.

E não existe problema nenhum em ser Goofy, muito pelo contrário: grandes surfistas como Gabriel Medina colocam o pé direito na frente. E com a prática é possível você até trocar sua base e surfar! Vejam como o nosso campeão mundial de 2014 faz isso sem muito esforço no vídeo abaixo e nos faz pensar sobre os diversos significados da palavra talento.

E essas nomeclaturas servem para outros esportes como o snowboard por exemplo, sabiam disso? E vocês? Surfam com que base?

FLEXIBILIDADE OU MOBILIDADE?

flexibilidade.jpg

A maioria dos surfistas estão cientes da necessidade da boa flexibilidade, mas o que a maioria não entende é a peça que falta na equação: A MOBILIDADE.

Flexibilidade refere-se à amplitude de movimento passivo alcançada através do alongamento estático. Isto é importante para músculos excessivamente ativos, mas isso não significa que as articulações em torno são estáveis e preparadas para os movimentos dinâmicos do surf. Muitas vezes apenas o aumento na flexibilidade passiva é uma lesão à espera de acontecer. O que os surfistas precisam mais que a flexibilidade passiva, é a mobilidade.

No surf, mobilidade refere-se a capacidade de mover as articulações em posições flexíveis, mas também ao mesmo tempo mantendo a força estável. E esta pode ser aumentada através de exercícios de mobilidade específicos que geralmente são incorporadas à sua rotina de treinamentos fora da água e de aquecimento.

SURF SUSTENTÁVEL?

Poucas coisas no mundo são misteriosas como fundo do mar. E infelizmente, satélites, robôs e mergulhadores aventureiros profissionais não são fontes suficientes para nos ajudar a desmitificar tamanhas profundezas.

A proposta da Smartfin é conferir ao surfista – através da utilização de uma quilha inteligente – a oportunidade de contribuir para o conhecimento aprofundado de sua instável pista e consequentemente contribuir com sua preservação. Oferecendo informações e dados precisos sobre os oceanos como salinidade, PH, temperatura, localização e detalhes sobre a características das ondas, a quilha pode ser implantada em qualquer prancha antes de uma sessão de surf.

1.png

2.jpg

NICARÁGUA – DIA 5

Na Nicarágua, algumas praias tem acesso restrito apenas aos donos de casas em condomínios ou a única entrada só pode ser feita utilizando um barco.

Porém, conseguimos ampliar nossos acessos e alcançamos um passe livre garantindo na trip toda quando testamos o verdadeiro valor de uma Revista masculina brasileira “Playboy”, graças a Ana Paula de Oliveira.

Dá uma olhada na cara de felicidade dos jovens nicaraguenses.

Captura de Tela 2016-01-25 às 21.28.21.png

Chegou a ver os 4 primeiros dias de trip?
Dia 4
Dia 3
Dia 2
Dia 1 

VOLUME DA PRANCHA EM LITROS!

SIM! É POSSÍVEL CALCULAR!
lijando-shape.png

Alguns surfistas na hora de encomendar ou comprar sua prancha levam somente em consideração seu peso e altura. Entretanto, temos que ter uma ideia de porcentagem ou um múltiplo em relação ao seu peso para que possamos fazer o cálculo correto de quanto essa prancha terá de flutuação, pois essa informação irá interferir diretamente na performance  desse novo equipamento.

O Volume LITRO está ligado diretamente à altura, largura e espessura de uma prancha de surf. Esse elemento pode ser ajustado de tal forma que muitas das vezes o surfista não irá precisar de uma prancha tão grande – dependendo claro de seu nível [iniciante, intermediário ou avançado]. – Podemos controlar através da largurae espessura da prancha compensando o que faltaria na altura. Deu pra entender? Não? Então continue lendo…

O SEGREDO DE UM FREE SURFER

rasta yoga.jpg

“Não consigo descrever como meu corpo se sente no momento que pratico minha yoga. É Uma experiência quase que irracional” – Dave Rastovich

Ao longo de sua carreira como um Free surfer profissional, Dave Rastovich tem sido um ícone de estilo na vida dentro da água e na saúde. Depois de uma bem sucedida carreira do competidor amador, Rostovich consegue viver o sonho que poucos pensaram ser possível: ele viaja o mundo inteiro para surfar ondas perfeitas sem colocar uma camisa. Sem a pressão de perseguir títulos mundiais, Rostovich tem sido capaz de priorizar a sua própria saúde e entrar em contato com a natureza. Yoga, sem dúvida, tem desempenhado um papel significativo em sua vida, permitindo-lhe manter equilibrado tanto na água como fora dela. Assista ao vídeo abaixo para ver a Rastovich fazendo sua rotina de yoga pre-surf e conheça algumas das suas posições para incorporar na sua rotina também.

AQUECENDO PARA SURFAR

foto 2.jpg

O aquecimento geralmente não é levado a sério antes de uma sessão de surf nem por surfistas amadores e nem mesmo pelos não-atletas, a fissura de entrar no mar acaba por nos fazer esquecer desse tão essencial hábito. No verão com altas temperaturas e com água quente muitas vezes nem sentimos sua falta e no inverno, quando estamos mais preguiçosos, com a queda das temperaturas nosso organismo precisa se proteger do frio ainda mais para, inclusive, diminuir as chances de lesões.

Nossas habilidades motoras melhoram quando estamos sob maiores temperaturas fazendo com que o  impulso nervoso se propague mais rapidamente, aprimore a velocidade de contração do músculo e da força gerada, proporcionando um alerta antecipado para controlar problemas musculo-esqueléticos ou cardio-respiratórios, potencializados no inverno devido às baixas temperaturas dentro e fora da água.

O aquecimento serve para aumentar progressivamente a frequência cardíaca, pressão sanguínea e consumo de oxigênio para que nosso corpo não sinta as grandes diferenças de temperatura de inverno quando estivermos na água.

Simplificando: Podemos dizer que o aquecimento nada mais é do que a elevação da temperatura corporal visando alcançar uma frequência cardíaca e um fluxo sanguíneo adequado para do surf, proporcionando assim melhores condições de aproveitamento e performance no surf, sem os riscos de entorses, lesões e complicações cardio pulmonares.

aquecendo para surfas.png

TIPOS DE AQUECIMENTO PARA O SURF:

%d bloggers like this: