Mês: Março 2016

OS SEGREDOS SOBRE PREPARAÇÃO FÍSICA QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Do começo: tudo nessa vida é equilíbrio, se há exageros, as conquistas não chegarão.

1.jpg

SUA MUSCULATURA PRECISA SER FORÇADA, MAS SEM EXCESSOS:
Quando você treina com levantamento de peso você faz com que as fibras dos músculos sejam microlaceradas – o que é entendido pelo organismo como uma agressão, isso faz com ele se adapte para aguentar com mais força, aumentando o músculo [hipertrofia]. Contudo, o excesso ou a intensidade alta do exercício pode gerar mais lesões do que o organismo consegue recuperar e assim o músculo pára de crescer.

REPOUSO AJUDA – E MUITO!
O músculo precisa de repouso para se reconstruir e consequentemente crescer, 7 horas de sono é o mínimo! Quando o treino não possui intervalos e descansos suficientes o crescimento muscular é prejudicado e até perda de força pode acontecer. TEM QUE ESPERAR PARAR DE DOER, para estimular o músculo em questão, novamente.

Captura de Tela 2016-03-27 às 23.49.49.png

QUEIMAÇÃO NÃO SIGNIFICA MÚSCULOS CRESCENDO:
A queimação é o sinal de que o ácido lático entrou em contato com o músculo o que avisa o corpo que chegou a hora de produzir hormônio anabólicos que auxiliam no crescimento – o excesso de queimação, pode prejudicar e até fazer os tecidos desmancharem. A sugestão é fazer séries curtas e intensas com pesos grandes para microlacerar na medida certa.

SE VOCÊ NÃO COMER BEM, TUDO SERÁ EM VÃO!
Já ouvimos isso algumas bilhares de vezes e nem por isso paramos de escutar: “Eu treino para poder comer o que eu quiser…” O ponto é que 70% a 80% da nossa aparência é resultado da nossa alimentação, tem que equilibrar, colorir e criar o bom hábito, caso contrário – aceite o corpo que tem.

Um corpo saudável, flexível e forte é necessário para quem quer curtir o surf ao máximo, testar manobras e desafiar seus limites. Quanto mais exercícios diferentes experimentar – mais terá domínio sobre o instrumento complementar a prancha mais importante de qualquer surfista – seu próprio corpo.

A SURPREENDENTE VERDADE QUE NUNCA CONTARAM A VOCÊ SOBRE O CHOCOLATE!

Sim, meus caros amigos, contra tudo e contra todos: estudos comprovam que chocolate pode melhorar sua performance no surf!

2.jpg

Provavelmente, quando você pensa em alimentos pré-treino, a última coisa que vem a sua cabeça é o chocolate. Naturalmente, optamos sempre por carboidratos, gorduras boas, frutas, ovos, vegetais, proteínas e água! Contudo, nosso convite é para que você esqueça tudo o que você sabe.

De acordo com um novo estudo de nutrição esportiva, um pouco de chocolate amargo [40g] pode ser exatamente o que você precisa antes de começar um treino, inclusive para aprimorar sua resistência. O estudo testou ciclistas durante duas semanas e os que claramente entregaram um resultado superior foram aqueles que consumiram durante um determinado período, o chocolate amargo.

Captura de Tela 2016-03-26 às 23.11.36.png

Ficou fácil parar de se sentir culpado: é só dizer que está comendo chocolate porque está buscando energia, saúde, amplificação da sua cognição cerebral, evitando oxidantes e até ajudando seu corpo a consumir oxigênio da melhor forma, transferindo para as células e consequentemente melhorando fluxo sanguíneo e o desempenho cardíaco.

É engraçado pensar que talvez muita gente já sabia disso, mas não podia aceitar que algo que nos faz ganhar peso, se consumido fora da medida, ou mesmo, um alimento TÃO DELICIOSO poderia fazer parte de uma dieta saudável… Você já ouviu falar eventualmente sobre os benefícios do chocolate mais escuro se comparado com o tradicional chocolate ao leite por conta da maior presença do cacau, mas nunca que ele poderia realmente beneficiar um atleta regrado e disciplinado.

CALADO TAMBÉM SE FAZ BARULHO…

foto 1.png

Foi no dia 15 de Janeiro de 2016, em Jaws, que Pedro Calado descartou a posição de desconhecido e em poucas horas assinou seu certificado de herói.

Brasileiro, carioca, de apenas 19 anos ganhou a atenção do mundo surfando Jaws com ondas de até 40 pés, em condições clássicas [considerando um dos maiores, se não o maior, de todos os tempos], na remada.

A imprensa já estava pronta para apontar a bomba impressionante de Aaron Gold como a maior onda surfada na remada [abaixo].

Contudo, as imagens da pouco habitual e impressionante esquerda dropada pelo big rider brasileiro começaram a aparecer e deixaram a audiência do surf um pouco dividida, independente da movimentação midiática.

É difícil dizer qual das duas será a maior, mas Shane Dorian já compartilhou sua opinião nas redes sociais colocando a imagem da onda surfada por Pedro ao lado da fotografia da onda do vencedor do XXL Awards em Jaws – Sebastian Steudner – o tamanho era idêntico, a forma de pegar a onda é o que se fez diferente:

Captura de Tela 2016-03-27 às 22.33.02.png

A onda do nosso carioca, inclusive já está disputando o Big Waves Awards 2016 na categoria remada – confira abaixo os indicados:

Pedro Calado pode ser celebrado e admirado pelo mesmo motivo que Jay Moriaty foi quando surfou Mavericks, afinal no anterior ele foi premiado por um feito um tanto diferente na mesma onda – um wipe out sinistro!

Nosso desejo? É que possamos continuar assistindo a evolução do surf de ondas grandes que vem crescendo em um curto espaço de tempo sempre com a presença dos brasileiros tanto no line up quanto na mídia mundial.

CINCO FORMAS DE TER UMA SEGUNDA FEIRA MARAVILHOSA!

Porque esse post?

Porque segundas-feiras não vão deixar de existir, porque sabemos bem da tristeza dos surfistas que não moram na praia e precisam retornar domingo a noite para a vida real. Elas não precisam ser tão horríveis e porque quanto mais você odia-las, pior serão.

1 – USE SEU COMBUSTÍVEL SALGADO

Fixe o pensamento de que o final de semana/feriado foi o combustível para você atravessar a semana sem deixar nada de ruim te atingir e hoje é o primeiro dia de tanque cheio.

1.jpg

2 – DESCANSE

  • Não deixe o descanso ser descontinuado por uma possível correria ou atraso. Coloque o despertador para meia hora antes e acorde com calma, levante devagar, se alongue e tome o café da manhã desfrutando cada parte dele. E para evitar apertar a opção soneca: deixe seu celular longe de você para que não possa desligar o alarme com facilidade – se possível já se levante.

2.jpg

3 – “DESASSUMA” O CONTROLE

  • Acredite: você não pode controlar o trânsito, nem os motoristas lentos, nem os infratores e nem mesmo aquele cara que quase bateu no seu carro, assim como você não pode controlar o mar, as ondas, o vento ou mesmo a chuva. A dica é aceite, respeite, respire fundo e afunde seus pensamentos como afundaria na hora do joelinho com foco no seu objetivo: chegar lá (seja esse “lá” o outside, seu trabalho ou sua casa).

3.jpg

COMO OS SURFISTAS PROFISSIONAIS SÃO AVALIADOS – GUIA PRÁTICO!

Você que acompanha o campeonato ou gostaria de acompanhar, precisa entender as regras e como os surfistas são avaliados pelos juízes da WSL. Depois de entender ficará mais claro que é MUITO difícil julgar um esporte que depende TANTO, como nenhum outro, das boas condições da pista.

São cinco critérios qualitativos que ajudam o surfista a pontuar, sem ordem de grandeza.

CRITÉRIO 1: Comprometimento e grau de dificuldade – Isso significa o quanto o surfista está comprometido em escolher e aproveitar as melhores ondas, principalmente as da série durante a sua bateria e o grau de dificuldade das manobras que executar para garantir sua pontuação.

drop.gif

CRITÉRIO 2: Inovação e progresso – Melhor que mandar bem, nesse caso é bom treinar e mostrar algo que ninguém viu. Afinal cada pico e cada onda tem uma característica – tem horas que um tubo bem executado é que conta e outras vezes é uma batida forte que vai fazer a bateria. Para ficar claro: Em Teahupoo um aéreo é quase sem valor se comparado com um tubo profundo e o surf de linha em Bells Beach vai ser muito valioso para o competidor.

Cut back.gif

Aereo 2.gif

CRITÉRIO 3: Combinação de manobras – Cutback? Floater? Aéreo? O que dá pra fazer junto e combinado depende muito da agressividade do surfista – Filipinho exemplifica bem no vídeo abaixo com uma nota 10 perfeita:

CRITÉRIO 4: Variedade de manobras – Tem que combinar e também variar, a inovação é celebrada sempre e quanto mais variedade, melhor a nota.

batida 2.gif

Bottom turn.gif

CRITÉRIO 5: Velocidade, força e fluidez – A capacidade de correr com velocidade a linha onda e seguir com fluidez, sem ficar batendo a prancha e sim emendando uma manobra na outra é essencial para quem quiser se classificar no mundial. Além disso a força em cada manobra é crucial, algumas vezes não a quantidade em si é que muda o jogo!

Back side .gif

O aproveitamento e a escolha das ondas também é de extrema importância: em um dia de 8 pés, uma onda lisinha e bem aproveitada de 5, vai fazer o surfista pontuar menos – acredite!

Se determinado critério foi cumprido temos uma onda que vai ser pontuada e vai ajudar o surfista a se classificar, e a partir disso temos a pontuação de notas quantitativas, considerando um ou mais critérios mencionados acima:

0.0 – 1.9: Execução simples/pobre
2.0 – 3.9: Execução justa/conservadora
4.0 – 5.9: Execução na média
6.0 – 7.9: Execução boa
8.0 – 10.0: Execução excelente

Agora é tentar acertar as notas antes dos juízes terminarem de julgar e ver se você aprendeu direitinho! Fique ligado e acompanhe o campeonato mundial de surf 2016!

 

OS PRIMEIROS ROUNDS DE BELLS BEACH ACABARAM!

A janela mal abriu e a segunda etapa do campeonato mundial já tem seus classificados para o terceiro e quarto round direto nas duas categorias. Acompanhe no WSL o campeonato e confira os resultados no blog DO SURF 🙂

ROUND 1 – FEMININO
SEGUNDA ETAPA WSL 2016 
BELLS BEACH

VENCEDORAS ROUND 1 [Classificadas direto para o Round 3]

Captura de Tela 2016-03-24 às 21.39.13.png

VENCEDORAS ROUND 2  [Vão disputar o Round 3 com as meninas acima]

Captura de Tela 2016-03-26 às 13.43.27.png

  • Nikki Van Djik
  • Alessa Quinzon
  • Sally Fitzgibbons
  • Stephanie Gilmore
  • Tatiana Weston-Webb
  • Bronte Macaulay

VENCEDORAS ROUND 3  [Já estão nas quartas de final]:

Captura de Tela 2016-03-26 às 13.44.20.png

Quando o Round 3 começou, Bells Beach não estava suficiente para essas mulheres e as baterias fecharam com notas baixíssimas, tivemos notas somadas que não davam 7 pontos  e atletas que só pegaram uma onda durante os 30 minutos na água. A onda que separamos para vocês é a maior nota do campeonato [incluindo masculino] até agora: um 9.17 da Courtney no finalzinho de sua bateria, onde Nikki – de azul, se enganou feio:

ROUND 4:
Quem leva?

Captura de Tela 2016-03-26 às 13.04.22.png

ROUND 1 – MASCULINO
SEGUNDA ETAPA WSL 2016 
BELLS BEACH

VENCEDORES ROUND 1 [Classificados direto para o Round 3]:

Captura de Tela 2016-03-26 às 13.19.17.png

Bells Beach não é um pico fácil de surfar por vários motivos e as condições climáticas não estavam ajudando. Temos 3 brasileiros já classificados – 1/4 do total de surfistas do round 3 – e nota mais alta do round 1 foi do australiano Mick Fanning – que fez um 8.83 – mas vamos ficar com a maestria de John John Florence que levou sua bateria de virada e tirou um 8.50:

Hoje as 18h30 [horário do Brasil] tem mais! Quem será volta pra disputa na repescagem do Round 2?

Acreditamos que, considerando o swell, o campeonato vai terminar ainda esse final de semana e já poderemos falar sobre os vencedores que tocarão o tradicional sino de Bells Beach!

Relembre as regras 🙂

FONTE:
WSL

CRIATIVIDADE NO SURF… OU NÃO?!

Verdade seja dita: a galera curte inventar! Separamos algumas das invenções criativas do esporte para você julgar se isso é excesso de criatividade ou nem pode mais ser considerado surf! Parte delas vocês já viram na Retrospectiva 2015!

SKI EXTREMO EM JAWS: Malucos esquiando nas ondas gigantes de Jaws, em plena janela de Eddie Aikau.

SURF EM CHAMAS: J.O.B pegando um tubo em chamas – literalmente!

Captura de Tela 2016-03-24 às 22.16.04.png

MOTO SURFING: Motocross na água? WTF?!?!?!

SMARTFIN: A quilha que ajuda os oceanógrafos!

3.png

PRANCHA MÁGICA: A peça criada para o surfista Stuart Kennedy – que vem quebrando no WSL 2016, que parece ser a criação de um shaper BEM criativo da Slater Designs.

561163415_1280x720.jpeg

O QUE MAIS VOCÊ PRECISA SABER SOBRE BELLS BEACH?

Foto 1.png

Com essas informações que separamos fica fácil considerar Bells Beach como um possível destino para uma surftrip – e quem sabe, bem na época de campeonato!

PRIMEIRO: LOCOMOÇÃO É ESSENCIAL
Acredite, você vai precisar alugar um carro. Melbourne fica à cerca de uma hora de distância de Torquay – lugar onde fica Bells Beach – e não existe infra para você se organizar próximo à praia. Por isso, se você quer ter mobilidade depois de sair do mar, você vai precisar de um automóvel.

SEGUNDO: A ÁGUA É BEM FRIA
Por isso leve sua roupa de borracha de no mínimo 3.2 e roupas quentes no geral para o momentos após os longos períodos dentro da água fria. Pode fazer muito frio e chover, sem aviso prévio. A parte de baixo de Torquay é um mundo diferente do resto da Australia e se agasalhar sempre parece uma boa opção quando se está por lá.

Foto 2.png

TERCEIRO: TEM ONDAS PARA TODOS OS GOSTOS.
Bells Beach é composta por vários picos: The Bowl, Bells [a principal com longas e rápidas paredes quando o swell está acima de 6 pés], Rincon, Centreside, Southside e Winkipop [a mais cavada].

East of The Bowl e Winki quebram sobre um recife produzindo uma onda rápida, oca, que muitas vezes ultrapassa inclusive as condições adequadas em Bells. É legal acompanhar o swell porque quando a ondulação entra grande [considere de 8 a 12 pés] e na direção correta, as bancadas geram uma extensa direita conectando Rincon a Winkipop em uma única onda.

foto 2 .png

QUARTO: É BOM SER CRIATIVO… OU VIAJAR NO MOMENTO CERTO!
Não tem muito o que fazer em Bells durante à noite. Durante o campeonato a Rip Curl costuma realizar algumas festa cheias de música e arte, que podem esquentar um pouco as geladas noites de Torquay. Mas se quer uma dica, aqui está: curta o dia, pois o surf é de primeira linha.

 

ENTENDA BELLS BEACH

Foto 1.png
Tocar o sino é uma das maiores honras para um ou uma surfista profissional. Uma praia marcada pela história, evolução e tradição, é a próxima etapa do WSL 2016.

O Rip Curl Pro Bells Beach é a etapa de surf mais antiga em termos de existência. O evento é executado todo ano na época próxima a Páscoa, desde 1973 para o masculino e 1977 para o feminino.

O Rip Curl Pro Bells Beach de 1981, ocorreu com ondas de até 15 pés. Quebrando de Rincon até Winkipop, Simon Anderson, com seu designer pioneiro de tri quilha venceu o evento pela segunda vez. A partir daí as pranchas com 3 quilhas foram adotadas por praticamente todos os surfistas.

Foto 2.png

Contado um pouco a parte da história de Bells – vamos às características do local que fazem esta direita longa, ser tão especial.

DEZ MULHERES QUE MARCARAM A HISTÓRIA DO SURF NO MUNDO!

Esses dias o site The Inertia homenageou 10 das mulheres mais incríveis que marcaram a história do surf e que comprovam a habilidade feminina nas águas. Você precisa conhece-las para honra-las e poder pedir sua ajuda na hora de dropar!

1- RELL SUNN

Rell Sun.png

 

Você não é nomeada “Rainha de Makaha” do nada. Ela é uma verdadeira sereia, que trouxe graça e poder para o surf mesclando o esporte com arte. Sempre deslizando ao longo da superfície ela nos ensinou um pouco do que é a real conexão com a onda e o oceano. Ela foi a primeira salva-vidas Havaiana do gênero feminino, uma das surfistas pioneiras, além de uma renomada mergulhadora – uma verdadeira veterana do canal de Molokai.

2- LISA ANDERSEN

Lisa Andersen.png

 

Podemos nomeá-la como a embaixadora da rasgada feminina. Já venceu muito surfista por aí e levou o surf feminino para um patamar superior. Foi capa da revista SURFER onde a manchete dizia: Lisa Andersen surfa melhor do que você! Ela vem de uma época onde não haviam opções de roupa para as surfistas mulheres, nem mesmo a Roxy existia. Ela foi quatro vezes campeã mundial e foi com certeza uma das principais responsáveis pela criação do mercado de equipamentos femininos.

3- PRINCESA KAIULANI 

Princesa Kalanui.png

 

Sem essa ousada princesa era possível que o surf nem existisse. Acredite ou não, nós temos uma imensa gratidão pela coragem dessa mulher! Após a vinda dos missionários para o Hawaii para oprimir o povo e PROIBIR o surf, foi ela que – contra todas as leis estabelecidas – remou para o fundo e levou seu povo de volta às origens – dentro do oceano, e surfando!

4- MARGO OBERG 

Margo Oberg.png

 

Considerada à primeira surfista profissional feminina Margo Oberg surgiu no meio das fileiras masculinas em plena revolução. Com sua flexibilidade Oberg extrapolou os limites do surf e indústria esportiva se reinventou: criando pranchas menores e mais manobráveis. Em 1975 ela foi a primeira competidora mulher no circuito.

%d bloggers like this: