Mês: Abril 2016

AUSTRALIANO ENSINA CACHORROS A SURFAR!

Chris de Aibotiz sempre foi um surfista apaixonado – e privilegiado. Nasceu na Austrália e morou no Hawaii por um bom tempo. Surfou, competiu, ganhou prêmios e até criou surf shops por aí. Mas parece que mesmo assim não se sentia completo…

Surf sempre foi uma paixão, mas… Cachorros também! E para se realizar completamente ele uniu as duas coisas e criou uma escola de adestramento natural para cachorros embasada pela equação: se você ensinar seu cachorro a surfar, pode ensinar qualquer coisa! 

Seu propósito está muito vinculado à tentativa de propor uma relação melhor entre donos e seus pets, evitando o aumento do abandono de animais. O treinamento pode ser apenas para o cachorro, mas o dono acaba também aprendendo muito e a relação dos dois, melhora consideravelmente.

Seu treinamento, executado há mais de dez anos, é embasado por um profundo conhecimento de linguagem corporal canina e uma tentativa de oferecer aos donos um maior conhecimento sobre os sinais enviados por seus amigos de quatro patas para uma maior conexão gerando correções de comportamento como: agressividade, rebeldia, ansiedade, desrespeito, falta de disciplina, medos, fobias e afins. 

Quando você surfa com o cachorro, ele pode olhar em volta e se divertir, mas precisa ficar sentado para não cair. É mais ou menos a mesma coisa que treiná-lo no dia a dia”, ele garante. Para o surfista, treinar os cães é a parte mais fácil. Difícil mesmo é treinar os donos…

Surf é realmente algo que pode salvar vidas e mudar a perspectiva sobre o mundo! Precisa de mais algum motivo para começar? Aqui tem mais sete!

Assista um pouquinho desse ousado surfista em ação:

FONTE:
HYPENESS

AS 22 MELHORES ILHAS DO MUNDO PARA SURFAR…

Você quer surfar? Você pode! Existe surf, como existe água, e como existe vento – em todo lugar!

Tem para todos os gostos e tem de todos os tamanhos. Tem mar transparente e cidade paradisíaca e tem mar mais escuro, menos esverdeado e centro históricos. Tem de tudo um pouco e não falta beleza.

Separamos as 22 melhores ilhas de surf do mundo para você decidir em qual quer fazer sua busca e já começar as economias. São opções realmente não óbvias e algumas até diferentes do que vemos no campeonato profissional.

  1. Bali, Indonésia

Captura de Tela 2016-04-29 às 14.35.30.png

Muitos dizem que é o lugar com as melhores ondas do mundo. Desde 1970 vem recebendo surfistas que buscam a perfeição das ondulações e acabam se encantando pela simplicidade e graça da cultura Hindu.

  1. Tavarua, Fiji

Tavarua fiji

É uma das ilhas tropicais mais bonitas do mundo, hoje, já possui acomodações mais luxuosas especiais para surfistas, que são guiados para as ondas mais perfeitas e tratados de maneira calorosa.

  1. Thanburudhoo, Maldivas

Thanburudhoo Maldivas

Uma ilha banhada pelo oceano índico virou uma opção para os surfistas que gostam de ir mar adentro em busca das melhores ondas – que abrem para os dois lados. Uma ilha que antes era uma opção pouco conhecida e secreta para alguns privilegiados tornou-se uma das opções favoritas de diferentes surfistas, a falta de controle se tornou tão grande que os ministérios de Maldivas já está prevendo transformar em uma espécie de boutique para surfistas se hospedarem e irem surfar.

  1. Oahu, Hawaii.

Hawaii2013_031_Bunker_201213

São décadas e décadas de muito surf e competições. Oahu é palco de descobertas e evoluções relacionadas direta ou indiretamente com o esporte e é definitivamente um lugar que você precisar visitar antes de morrer, se possível no período de Novembro a Março, onde você pode escolher qual paraíso e qual tamanho de onda quer encarar.

  1. Siargao, Filipinas

Siargao, Philipines

Hoje é um dos destinos de surf mais populares da Ásia e talvez por ser próximo de picos famosos e conhecidos por surfistas foi tomado pelo crowd. O motivo do excesso de surfistas no local se justifica pelos tubos de direita imperdíveis.

  1. Lanzarote, Ilhas Canárias, Espanha.

Lanzarote Espanha

A verdade é que existe Hawaii no mundo inteiro – risos. E as ilhas canárias, conhecidas como o Hawaii da Europa recebem o swell no inverno [dos Estados Unidos] e oferece águas quentes e ondas poderosas. Possui uma paisagem no mínimo emocionante com mar azul e muitas opções para se hospedar e comer. Vale a pena ficar esperto com os locais que são conhecidos por alguns episódios agressivos.

  1. Barbados

Barbados

É uma excelente opção para surfistas, com swell e ventos bem consistentes evitando surpresas negativas durante a sua trip, dá pra surfar todos os dias e se algo der errado e o mar ficar flat, lugares muito próximos podem acabar com seus problemas. Vantagens que vale destacar? Tem acomodações próximas as ondas para todos os bolsos.

  1. Santa Catarina, Brazil

Captura de Tela 2016-04-29 às 14.43.42.png

Ondas de qualidade e uma vibe bem diferente das grandes metrópoles como Rio de Janeiro e São Paulo é uma boa opção para nós brasileiros e para gringaiada próxima: Argentinos e Uruguaios também. Março a Abril e Setembro a Outubro são meses interessantes para viajar para lá, mas ondas de diferentes tamanhos estão disponíveis o ano inteiro. Considerado um lugar seguro para se estar com bons restaurantes e opções noturnas para quem gosta.

  1. Ilhas Reunião, França

Ilhas Reunião

Faz parte da lista de lugares imperdíveis de muitos surfistas, com esquerdas perfeitas e um pouco de tudo para garantir boas memórias de sua surftrip que deve ser planejada entre Abril e Outubro, contudo é importante ter em mente que é um dos habitantes frequentes da ilha são tubarões gigantes que já mataram 5 pessoas em 2012, tem que ter coragem!

  1. Hispaniola, República Dominicana

Hispaniola, Republica Dominicana

De todo o mar do caribe Hispaniola é a zona mais rica para os surfistas por ser abençoada por uma quantidade valiosa de ondas. No meio da República Dominicana e o Haiti recebe swell constante e visitantes do mundo inteiro.

LIGA DE SURF MUNDIAL AJUDA OS OCEANOS

A Liga de surf mundial ou Word surf league [WSL] anunciou o investimento de U$ 1.5 milhões de dólares no programa de ciência oceânica do instituto Lamont-Doherty Earth Observatory.

O Projeto de pesquisa denominado WSL Pure, combina responsabilidade social a um programa de educação marinha. Com cinco áreas de atuação:

  1. Clareamento dos corais;
  2. Acidificação dos oceanos;
  3. Elevação do nível do mar;
  4. Saúde dos oceanos e ecossistemas;
  5. Temperatura dos oceanos.

Captura de Tela 2016-04-22 às 6.16.42 PM.png

Os oceanos e o clima estão mudando mais rápido do que imaginávamos. A WSL Pure nos permite acelerar as pesquisas para entender como estas mudanças irão impactar as pessoas, além do nosso acesso a comida, água e energia” disse Peter Demenocal, Oceanógrafo e direto do centro de pesquisas de climas do Lamont-Doherty Earth Observatory.

O programa surge em um momento em que o financiamento de pesquisas no oceano está caindo, mas velhos problemas permanecem e dados revelam novas preocupações:

Os recifes de corais vem sofrendo uma grave branqueamento, que significa menos vida nos recifes. A temperatura do oceano não para de subir ano a ano, a acidez dos oceanos aumentou em 30 % nas últimas décadas e os fito plâncton continuam sendo uma ameaça a cadeia alimentar marinha.

Ao criar uma geração de surfistas-cientistas, aspiramos criar uma voz para os oceanos e para capacitar nossa base de fãs globais se tornarem mais bem informados sobre os problemas que assolam nossos oceanos, para cada vez mais possamos desenvolver soluções reais para estes problemas” acrescentou Paul Speaker, CEO da liga de surf mundial.

A Universidade Colômbia Lamont-Doherty Earty Observatory irá oferecer aulas sobre ciências do mar para estudantes de todos os níveis. A maioria dos fundos arrecadados pelas aulas, serão reinvestidos em projetos para a preservação dos oceanos.

1.jpg

 

FONTE:
SURFER TODAY

CAPA E BARRACA AO MESMO TEMPO!

Foto 1.png

Você acorda, caminha até a praia, você surfa, você come, você dorme. Isso é o que você fez ontem, isso é o que você está fazendo hoje e é o que vai fazer amanhã. Ou pelo menos, gostaria – certo?!

Então… Que tal dormir na praia e cortar a caminhada desta lista?! Agora você pode fazer isso com a inovação do século: A WAVECAVE.

A Wavecave é uma capa de prancha, que se transforma em barraca. Companheiro ideal para surfistas em suas surftrips. Dessa forma, você pode levar suas pranchas e um abrigo do sol ou da chuva, carregando apenas uma única coisa… que economia de tempo e espaço!

A Wavecave consegue transportar até quatro pranchas, com o zíper fechado. O material é feito de Nylon impermeável, com lona interior e acolchoamento de 20 milímetros para proteção de suas pranchas e usada também como base para a barraca, deixando-a bem confortável. Ela também oferece divisores de pranchas [opcionais], cada uma com reforço e estofamento interior de 5 mm.

foto 2.png

Para usar como barraca, você abre a capa de ponta a ponta e retira a tenda que tem no interior da capa, utilizando um sistema de clipes e zíperes. A capa acolchoada servirá como piso da barraca, proporcionando uma área para dormir com capacidade para até duas pessoas. A tenda é feita de nylon taffet e as hastes flexíveis feitas de fibra de vidro para servir de esqueleto [Todas as superfícies podem ser lavadas facilmente]

Ah sim! Certifique-se de prega-la no solo sendo areia ou grama para que em dias de vento forte ela não sai voando por aí…

Foto 3.png

Sonho realizado, certo? Errado!

A parte ruim da noticia é que para nos brasileiros ela ainda esta muito cara, em torno de 170 euros mais ou menos R$750,00 reais.

Porém vale a dica para as marcas de acessórios nacionais comprarem a ideia, afinal de contas, as boas ideias estão ai para serem recriadas, repetidas, compartilhadas e até melhoradas. Que tal uma versão dessa por um preço mais acessível? Vamos nessa?

Mesmo assim se estiver disposto a abrir a carteira acesse o site e garanta a sua! COMPRE AQUI SUA WAVECAVE!

Mande fotos para morrermos de inveja e fiquem de olho nas inovações do surf, sempre tem coisa boa por aqui! Alguns bons exemplos para relembrar aqui:

Vem com a gente ;D

FONTE:
COOL THINGS

 

TRÊS QUILHAS OU QUATRO QUILHAS: COMO E QUANDO USA-LAS!!

qui.png

Com um incrível crescimento nos números de pranchas vindo com 5 encaixes como opção para as quilhas, a pergunta que fica é: Qual é a melhor configuração: três quilhas ou quatro quilhas?

Infelizmente, não existe uma resposta única para esta pergunta. Simplificando: as duas opções são muito boas, mas tudo depende do que você quer delas lá fora. Esta é a principal razão pela qual tantas pranchas são oferecidas com a opção de cinco quilhas para encaixe.

Suas quilhas são responsáveis por 40% da sua performance e da sua prancha. Trocar as suas quilhas, ou a configuração das mesmas, pode alterar drasticamente o seu desempenho. Relembre o tema aqui. 

A fim de compreender melhor a utilidades das suas quilhas, é importante entender a história e a evolução das mesma:

  • A Single Fin ou Mono Quilha veio para ajudar a pranchas grandes e pesadas a terem mais tração e estabilidade
  • Twin Fins ou Bi Quilhas, por outro lado, entraram em cena para ajudar a soltar mais as pranchas deixando elas mais manobráveis.
  • Thruster ou Tri Quilha, foram inventadas por Simon Anderson, um surfista grande e pesado que perdia velocidade facilmente com as Twin Fins. A soma de uma quilha central acabou oferecendo mais controle e tornou possível voltar das manobras com mais velocidade. Deu tão certo que até hoje são a configuração de quilhas mais usadas pelos surfistas, porque oferecem equilíbrio entre direção, velocidade e controle.
  • A Quad ou Quadri Quilhas, praticamente combina atributos da Bi Quilha e Triquilha. Acrescenta firmeza na linha com velocidade sem a resistência da da Triquilha e mais maleabilidade e controle do que uma Biquilha.

Então… Quando e POR QUE devemos considerar a quadri quilha como opção??

 

foto 4.png

A Quadri preenche o vazio que fica entre a Triquilha e Biquilha, e entrega uma prancha mais rápida, mantendo a mais solta e também com controle. Podendo ser usadas em ondas pesadas, tubulares, grandes ou pequenas. Dependendo da colocação das quilhas.

Em dias menores, para usar a Quadriquilha, é necessário deixar as quilhas traseiras um pouco mais para cima da prancha, ou seja, mais próxima das quilhas dianteiras, isso vai fazer com que ela fique mais solta, permitindo manobras rápidas e soltando a rabeta com mais facilidade, além de maior velocidade, por causa da menor resistência proporcionada pela ausência da quilha central.

Em dias maiores e tubulares, as quilhas traseiras tem que ser colocadas com uma distância um pouco maior das dianteiras, aumentando a área que vai estar em contato com a água, deixando mais segura sem perder velocidade.

Você vai conseguir ir mais alto nas ondas mais cavadas, pois tem duas quilhas em contato com água. Sem esquecer que ganhará velocidade por não ter a quilha central.

Quando e porque devemos optar pela Tri quilha?

foto 3.jpg

Existe uma boa razão, para a triquilha ser a configuração mais usada nos últimos 30 anos: Sim, simplificando elas são previsíveis e funcionam muito bem.

Mas se as Quadriquilhas são tão funcionais, por que ainda usar as triquilhas?

As triquilhas são excelentes para aqueles dias de ondulações perfeitas, nestes dias a triquilha te dá mais tempo para realizar a manobra, fazendo com que as curvas fiquem mais redondas, ao invés de passar a seção com muita velocidade. Elas te dão um controle útil, para surfar ondas de qualidade. Pensa naqueles dias de ondas longas com muitas seções de manobras, como rasgada, batida e cut backs. São esses os dias que a tri quilha vai ser sua melhor opção.

As tri quilhas também funcionam em dias de ondas menores e também em dias de mar grande, você precisa testar e ver como melhor se adapta. Hoje em dia pode se ver alguns surfistas de ondas grandes que vão de quadri, para ter mais velocidade e uma linha alta na onda e alguns que preferem a estabilidade necessária que as tri quilhas podem oferecer.

Agora, qual prancha eu devo escolher?

Primeiro veja qual a prancha ideal para você, para isso entenda o tamanho, largura, flutuação volume entre outros detalhes. Se puder na hora de comprar ou fazer uma prancha faça a opção por 5 encaixes para as quilhas, assim você pode optar para decidir dependendo do tipo de mar. Afinal surf é experimentação, estes encaixes extras não vão fazer uma diferença notável na sua prancha.

Alguns shapers tem modelos projetados para funcionar com tri ou quadri quilhas, mas raramente para as duas configurações, devido a diferenças que o bottom da prancha tem que ter para se encaixar melhor as quilhas.

foto 2.jpg

 

Resumindo em poucas palavras: vale a pena fazer sua prancha com 5 encaixes. Pois a cada dia que passa os estudos crescem e novas pranchas são criadas para que se adequem a esses dois tipos de configuração de quilhas.

Você não esta perdendo nada! Pelo contrario, só está ganhando e você nunca vai saber qual a configuração melhor se não for lá e TESTAR!

Depois conta pra gente! 😉

FONTES:
The Inertia
Surfline

QUAL SERÁ O FUTURO DA ETAPA DO BRASIL NO CIRCUITO MUNDIAL??

Falta menos de 1 mês para a próxima etapa do circuito mundial. A quarta etapa acontece anualmente no Rio de Janeiro.

A cada ano que passa a etapa do Rio de Janeiro, vem sendo cada vez mais criticada. Alguns reclamam da baixa qualidade das ondas e outros se incomodam com o nível de limpeza da água – um fato inquestionável datado pelo mau escoamento dos esgotos da cidade, que vem afetando drasticamente a costa carioca.

Grandes figuras da elite mundial já pensam duas vezes antes de vir para a etapa brasileira.

Penso que todos sabem que se tivermos mais um ano no Rio com ondas medianas e surfistas doentes, provavelmente o evento não se realizará mais no futuro. Não é preciso ser um cientista para se ter noção disso. Não temos surfado ondas boas por lá, por isso, se é para competir em ondas fracas e com os surfistas ficando doentes, vale procurar outros lugaresrealçou o surfista australiano, Adrian Buchan.

No ano passado, Buchan e os compatriotas Matt Wilkinson e Dimity Stoyle foram alguns dos atletas que ficaram doentes durante a etapa. E este ano para somar a equação negativa e deixar os pros ainda mais preocupados temos o alerta do Zika Vírus.

Com todos estes fatores negativos cercando a etapa carioca, na última semana, o atual campeão mundial, Adriano de Souza [Mineirinho]  fez uma campanha em suas redes sociais perguntando para sua audiência qual realmente deveria ser o local da etapa Brasileira.

Nós também entramos nesta onda com o Mineirinho e separamos alguns dos picos do Brasil onde as ondas iam deixar os surfistas do mundo todo com mais vontade de atravessar o Atlântico.

DEIXE SEU VOTO NA NOSSA ENQUETE

  1. Maresias, SP

Praia onde nosso primeiro campeão mundial foi criado, possui ondas fortes e tubulares que são fáceis de ser vistas. No período de Outono recebe boas ondulações de sul e vento leste [terral] .

Hoje em dia já temos uma etapa do WQS [divisão de acesso] que acontece no litoral paulista, então porque não uma etapa da elite mundial?

ECONOMIZE AGORA PARA FAZER SUA SURFTRIP NAS PRÓXIMAS FÉRIAS!

6.jpg

Fazer uma surftrip é o sonho de muitos surfistas independente do seu nível no esporte. É uma experiência que pode contribuir muito para sua evolução, além de conectá-lo ainda mais com os valores da prática que sem nenhuma dúvida irão tornar sua vida muito melhor.

Os destinos são inúmeros: Indonésia, México, Costa Rica, Peru, Austrália, Califórnia, Fiji, França, Fernando de Noronha, Portugal e Hawaii são apenas alguns deles… E sabemos que independente da sua escolha, tendo como ideal passar pelo menos 10 dias no pico para garantir que irá conseguir pegar o swell, e eventualmente atualizar seu quiver para surfar as ondas locais, o custo pode não ser nada barato.

Mas o que queremos? Mostrar pra você que esse sonho é possível! Basta você ter um pouco de disciplina e levar em consideração as dicas abaixo, e se continuar com os bons hábitos que aprendeu aqui, pode ir conquistando outros sonhos [como comprar uma prancha] depois de voltar energizado da sua surftrip.

Então, vamos do começo: Hoje você recebe um salário, e idealmente – considerando a recomendação de economistas e especialistasvocê deve gastá-lo seguindo as proporções de 50/30/20. Em linhas gerais é simples:

  • 50% do seu salário deve ser destinado para você se sustentar [aluguel, contas de água, luz, internet, meio de transporte e comida]
  • 30% do seu salário deve ser usado para realizar suas necessidades mais “supérfluas” e lazer [bate e volta da semana, por exemplo], equipamentos de surf, academia, ferramentas para treino, restaurantes, festas e afins…
  • 20% deve ser guardado para que você possa realizar seu sonho de viajar para algum lugar alucinante com altas ondas.

7.jpg

Essa é sugestão menos agressiva e que não vai deixa-lo desesperado e nem sufocado. Claro que a proposta vai variar de acordo com seu estilo de vida e irá possibilitar sua viagem no tempo proporcional à sua faixa salarial. Não recomendamos que você abra mão dos 30%, porque de nada vai adiantar chegar em um pico irado cheio de ondas se você não tiver treinado para aproveitar o que há de melhor.

Para tornar essa equação possível trouxemos oito dicas valiosas que nos ajudaram a fazer as economias corretas para viver o surf com cada vez mais intensidade.

4.jpg

DICA 1 – MOSTRE PARA SUA OPERADORA DE CELULAR QUEM É QUE MANDA:
Principalmente se você tem um plano pós pago. Entre no site da operadora e verifique o valor do pacote que você vem pagando [normalmente permanecemos pagando um mesmo plano por anos, sem nos preocupar com renovação e ajustes e podemos nos surpreender]. Depois, verifique suas 3 últimas contas de celular e veja a quantidade de minutos utilizada nas ligações e o número de GB consumidos com a internet. Se você estiver consumindo menos do que está pagando, entre em contato com sua operadora e troque para um plano com preço inferior já!

Para quem possui celular pré-pago, use e abuse das opções gratuitas de ligação como Whatsapp, Skype, Blue Jeans para economizar seus créditos e diminuir o número de recargas.

DICA 2 – SÓ PAGUE POR ACADEMIAS SE VOCÊ USAR PELO MENOS 4 VEZES POR SEMANA:
Hoje as academias, principalmente as de rede tem valores muito similares, quantias de dinheiro que se economizadas, fazem toda a diferença. Se você não for um frequentador assíduo, que usa os aparelhos, os serviços, os descontos, os benefícios, faz as aulas e afins – não vale a pena. Hoje é plenamente possível realizar exercícios ao ar livre, e comprar alguns objetos básicos que irão auxilia-lo a preparar seus músculos para surfar por um preço muito mais em conta que uma mensalidade de academia.

SURF & ARTE

1.jpg

“Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a arte, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a arte.”  Goethe

Foi assim que Johann Goethe definiu a arte, mas nós surfistas sabiamente trocaríamos a palavra arte para tentar descrever o surf e apresentaráimos a frase dessa forma:

“Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a surf, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a surf.”  Equipe Do Surf

Essa até pode não ser a melhor definição, afinal existe uma beleza única em não entender o surf. O que queremos é mostrar que o surf e a arte estão interligados, e ambos são formas genuínas de se expressar e também se descobrir. E que temos por aí muitos surfistas artistas, ou artistas surfistas e que você precisa conhecer.

2.jpg

DREW BROPHY

Drew foi o pioneiro em criar desenhos para pranchas de surf.
Um dos mais reconhecidos artistas de surf no mundo, tem uma história interessante: abandonou o colégio para surfar e desenhar. Muitas vezes ouviu “Drew você não pode surfar e desenhar pelo resto da sua vida” e provou que estas pessoas estavam redondamente enganadas, ele não só podia, como fez.

Morando na Califórnia, começou a transpor suas visões em pinturas em suas próprias pranchas e na de seus amigos, rapidamente tornou-se conhecido, e logo depois se profissionalizou com apenas 20 anos de idade.

Hoje ele tem uma empresa com vários designers que criam layouts para pranchas, skates, tênis e roupas. Seu propósito sempre repetido é: “O meu trabalho é deixar as coisas mais legais e não é que ele consegue fazer isso mesmo?

JIM PHILLIPS

Uma lenda e grande referência para a maioria dos artistas de surf.

Nascido na Califórnia, começou sua carreira bem cedo, com apenas 17 anos ele fez um desenho para um concurso da revista Surfer Quarterly e ganhou. Depois disso passou por varias empresas do setor até que, em 1975 tornou-se diretor de design da marca Santa cruz Skateboards. Onde vários de seus desenhos ficaram conhecidos, como por exemplo a Handwave [primeira imagem abaixo].

RICK RIETVELD

Surrealista pop contemporâneo, nativo do sul da Califórnia, é conhecido por suas realizações como artista inovador e empreendedor. Suas criações são fortemente influenciadas pelo estilo de vida do surfista e do mar consequentemente, sempre embaladas com o seu surrealismo inato.

Como surfista, honra suas raízes e a cultura do surf em suas artes, Rick criou obras de arte para competições renomadas como Eddie Aikau e Quiksilver G-land Pro. Permanece até hoje fazendo trabalhos personalizados com encomendas para empresas ao redor do mundo. Conheça um pouco mais de seu estilo:

Pra nós que não temos habilidades com desenho e pintura e vivemos em cima da prancha a equação é simples:

O SURF CRIA OBRAS DE ARTES:
O MAR É A TELA, A PRANCHA O LÁPIS E NÓS? OS ARTISTAS! 😉

FONTE:
Livro surf Graphics

 

12 DICAS FÁCEIS PARA VOCÊ SE TORNAR UMA PESSOA QUE TREINA DE MANHÃ

Sim, surfar é para todos. Qualquer pessoa, dos 3 aos 70 anos pode subir em uma prancha e deslizar pelas ondas. Sim, existem surfistas com barriga de cerveja e há exemplos como o próprio John John Florence que não faz nenhum outro exercício além de surfar as ondas de Pipeline.

Captura de Tela 2016-04-21 às 22.38.47.png

MAS… Treinar pode mudar sua experiência na água. E se treinar não for sua praia, trate a prática como um passo para que você possa fazer mais daquilo que mais ama fazer: surfar. E acredite, seus músculos irão agradecer e sua chance de se lesionar pode diminuir consideravelmente.

Além disso, para aqueles que moram nas grandes cidades, e nem sempre podem descer para o litoral, o treino pode ser vital e servir de preparo para quando o swell entrar e a agenda permitir.

Acreditamos no surf como estilo de vida e ter o esporte como objetivo e espaço para desenvolvimento físico e mental pode ser seu grande trunfo para fazer dessa jornada, algo melhor e que vai além da compreensão humana. E é por isso, que trouxemos 12 dicas para você se tornar uma pessoa que treina – na parte da manhã, para nem o trabalho e nem o trânsito te atrapalharem no processo de se melhorar para subir na prancha.

1acf14fa69020755e29a4ede720103c6.jpg

É preciso de força para remar, de resistência para nadar, de condicionamento para respirar, de flexibilidade para manobrar e de equilíbrio para continuar de pé enquanto a onda se exibe – é preciso treinar!

Acordar cedo nunca foi e nunca será fácil, sabemos que você pensa que o botão soneca foi inventado em sua homenagem, mas se esse desejo te pertence e você se coloca numa lista de incapacitados, isso irá mudar agora mesmo! Aqueles corredores, praticantes de yoga e entusiastas fitness que acordam cedo e postam um #partiu ou #done nas redes sociais antes mesmo de você abrir o olho não tem NADA de diferente de você, mas talvez eles saibam alguns segredos que você não saiba e vamos revelar agora.

A NOITE ANTERIOR É MUITO VALIOSA NESSE PROCESSO, E POR ISSO, AS PRIMEIRAS DICAS SÃO:

1.jpg

DICA 1: SE HIDRATE: Perdemos líquido quase o tempo todo e nosso organismo e músculos são compostos por água, por isso se hidratar é essencial durante o exercício e também antes dele, afinal a água ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo, evitar câimbras e retardar a fadiga que nos faz não levantar da cama.

2.jpg
DICA 2: TOME CUIDADO COM O JANTAR:
As escolhas erradas nessa refeição tem o potencial de dificultar a sua manhã. Por isso controle o açúcar no seu sangue e coma proteínas leves evitando os carboidratos em excesso.

4.jpg

DICA 3: DEIXE TUDO PREPARADO: Sim, a atitude matinal não pode ser complexa. Então separe a roupa, tênis, itens para banho, corda e todos os equipamentos para realizar seu treino e deixe tudo pronto, se quiser até já dentro do carro. Se não estiver nada pronto de manhã, você terá mais desculpas para deixar para a próxima segunda-feira.

DICA 4: [INCLUSIVE O CAFÉ DA MANHÃ]: Deixe tudo separado e no esquema para que você possa comer sem muitas delongas. Pense em opções que não estufem, mas que ofereçam bastante energia para seu corpo usar de combustível. Smoothies, shakes de proteína, barrinhas, frutas ou aveia são opções práticas e interessantes.

ENERGIA RENOVÁVEL QUE VEM DAS ONDAS DOS OCEANOS

foto 1.png

A ambição de mudar nosso futuro já fazia parte dos planos da empresa australiana, Carnegie Wave Energy, há mais de 10 anos. O projeto era simples em sua complexidade: um gerador de energia local alimentado por ondas – SIM! Ondas do mar!

Essa é a proposta da tecnologia CETO – converter as ondas dos oceanos em energia renovável. A pergunta que complica as coisas é: Como funciona esse sistema?

  • PRIMEIRO: Unidades de bombeamento são colocadas no fundo do mar – em qualquer parte que tenha entre 30 e 60 metros de profundidade.
  • SEGUNDO: Em cima de cada unidade – uma grande bóia é amarrada.
  • TERCEIRO: As ondas atingem as bóias e entram nas unidades de bombeamento.
  • QUARTO: A água pressurizada segue nos tubos das unidades e aciona turbinas que geram energia para uma central hidroelétrica.

Complexo, mas brilhante, não?!

A água de alta pressão – proveniente das ondas – também pode ser usada para abastecer uma usina de dessalinização, substituindo e/ou reduzindo a dependência de bombas elétricas que liberam gases nocivos e amplificam o efeito estufa. Esse será apenas o primeiro conjunto de gerados de energia, o plano é conecta-lo à uma rede elétrica na Austrália e no mundo todo

Está claro que esse projeto é poderoso e necessário para nosso mundo em decomposição, contudo não é de longe um projeto barato. A empresa já desbancou U$S 32 milhões até o momento e já contou com o apoio de mais U$S 13 milhões de uma outra empresa chamada Australian Renewable Energy Agency.

unnamed.png

Durante o período de testes, o CETO unidade 5, gerou 240KW e permaneceu em operação por mais de duas mil horas. A empresa já tem o CETO unidade 6, que possui uma estrutura ainda maior capaz de gerar 4 vezes mais energia.

Quem surfa amplia sua consciência, e assim as soluções para salvar nosso mundo começam a aparecer. Um salva de palmas para os aussies.

Curtiu? Quer saber mais? Veja o vídeo, acesse o site desse projeto genial e compartilhe as boas ideias para que elas inspirem o mundo.

[Se você se perguntar porque a Australia tem tantos projetos relacionados com o universo DO SURF, fica aqui a resposta: é o principal esporte praticado no país então… Porque não!?].

 

%d bloggers like this: