Mês: Outubro 2016

JÁ SE PERGUNTOU QUANTAS PRANCHAS VOCÊ PRECISA MESMO TER?!

A gente te ajuda a fazer essa conta já que a dúvida é comum para vários surfistas! Mas vale lembrar que não existe uma única resposta para essa pergunta já que cada surfista é único e tem seus próprios hábitos e preferências. Um surfista profissional obviamente precisa de mais pranchas que eu e você, concorda?

do surf quantas pranchas.jpg

Mas se for um surfista frequente acreditamos que quatro pranchas seja mais do que suficiente para o seu quiver.

Se você for um iniciante um longboard ou um funboard serão mais do que suficientes, e só depois de dominar essas pranchas quase sem pensar antes de agir que vale investir na próxima ok? Dê tempo ao tempo.

A sugestão de ter quatro pranchas está diretamente ligada a sua diversão! Ter mais de uma opção para a inconstância do mar pode ser uma saída excelente para que você consiga aproveitar a maioria dos dias sem se frustrar.

COMO TOMAR UM CALDO [OU UMA VACA] APROPRIADAMENTE!

A única certeza que todo o surfista tem quando entra no mar é que… ELE VAI CAIR!

Sim, e por esse motivo esse post existe! Para que você aprenda a cair, da maneira correta e não se traumatize e deixe de surfar.

do surf caldo 1.jpg

Claro que você deve estar se perguntando: nossa, mas o que pode acontecer de tão ruim se eu cair na água?! A gente explica:

  • Você pode se lesionar
  • Você pode quebrar sua prancha
  • Você pode se cortar com as quilhas
  • Você pode colidir com outros surfistas
  • Você pode cair no fundo e se machucar
  • Você pode perder o senso de direção
  • Você pode ficar mais tempo submerso na água do que gostaria
  • Você realmente pode se afogar

E para os iniciantes empolgados, vale o sábio ensinamento: quanto maior a onda, maior [e pior] será a queda!

Então aprender a cair com algumas dicas simples pode evitar que você bata a cabeça com força e fique inconsciente ou paralisado.

do surf caldo 2.jpg

PERCEBEU QUE VAI CAIR?

Tenha algumas coisas em mente:

  • O que tem nesse chão? Areia? Então ok, pode cair… Recifes ou pedras? Legal não afundar muito.
  • Conseguiu identificar onde está sua prancha? Proteja-se dela! Não conseguiu identificar onde está sua prancha? PROTEJA-SE DELA! Sempre mantenha seu rosto protegido com os braços ou mãos.
  • Mantenha os olhos abertos e perceba os outros a seu redor, na hora de cair é sempre bom não colidir com outro surfista.
  • Registre o ambiente antes mesmo de entrar na água, ou tem ali? Rochas pontudas? Buracos? Nada melhor para reagir do que saber onde está caindo.

CAINDO ADEQUADAMENTE EM 9 PASSOS!

PASSO 1: Se perceber que vai cair e conseguir pular da sua prancha [pra longe dela], faça isso! E quando for levantar já esteja com o braço protegendo seu rosto, assim a chance de levar uma porrada na cara, diminui.

PASSO 2: Pense sempre que você está pulando em uma piscina rasa. Mesmo em bancos de areia tem lugares mais e menos fundos e se você se jogar de cabeça ou pular com muita força, acreditando que está no fundo, pode se machucar feio.

PASSO 3: Se a prancha virar, como na imagem acima, a melhor forma de cair é no formato de “bomba” com a bunda batendo primeiro na água. NUNCA VÁ DE CABEÇA ok?!

DICAS GERAIS PARA TODO E QUALQUER SURFISTA!

O bom de surfar é poder surfar com tranquilidade sem ficar no mar tendo que checar se está tudo certo com seu carro ou com suas coisas. Ou mesmo preocupado com algo que poderia não dar certo.

Por isso separamos dicas que não necessariamente tem a ver com o ato de surfar em si, mas com a experiência como um todo.

do surf dicas gerais 1.jpg

QUANDO FOR ESTACIONAR:

  • Fique distante do carro que está na sua frente, assim aumentará suas chances de encontrar uma vaga e, por favor, respeite quem vem atrás de você, não tem motivo para você entrar na água já com alguns xingamentos aleatórios que recebeu de alguém que não conhece.
  • Se você buscar uma praia mais deserta e mais inacessível talvez tenha mais chances de encontrar uma vaga ;P
  • Se puder ir a praia a pé, de bike ou mesmo de skate – FAÇA ISSO. E se ficar receoso de largar na areia, peça pra alguém das barraquinhas/restaurantes te ajudar a guardar.
  • E por favor na hora de comprar sua roupa de borracha, garanta que ela tem aquele espaço elástico para colocar a chave do carro, NÃO ESCONDA a chave do seu carro porque as histórias de pessoas que já foram roubadas assim são inúmeras.

ANTES DE SURFAR:

  • Sabemos que a fissura pode ser imensa, principalmente para os iniciantes, mas observe o mar por pelo menos 5 minutos, entenda onde as ondas quebram, se existe algum canal de entrada, onde as pessoas estão remando, enfim, vale olhar e se não conseguir ficar parado, faça isso se alongando ou se aquecendo.

MAIS QUATRO CIRCUITOS DE TREINO PRA VOCÊ SE FORTALECER!

Muita gente nos pede treinos para se fortalecer já que nem sempre podem ir surfar, e por isso, semanalmente iremos compartilhar alguns circuitos para vocês poderem escolher seus favoritos e criar o hábito de estar sempre em forma para quando chegar a hora de cair no mar.

Relembre aqui os 4 circuitos da semana passada.

Separamos algumas sequências legais para você ir praticando! O ideal é repetir o circuito pelo menos 3 vezes, quando ficar fácil 5 e se quiser se desafiar verdadeiramente 8!! O intervalo para descanso não deve passar 60 segundos e a recomendação é que você treine pelo menos 3 vezes na semana.

CIRCUITO UM

do surf circuito fortalecer.png

CIRCUITO DOIS

do surf circuito 21.png

QUER APRENDER MAIS SOBRE A VIDA? VIAJE SOZINHO!

Foi assim que Kepa Acero fez.

Kepa Acero é, sem dúvida, uma das pessoas mais interessantes do mundo surf. Isso porque ele não é conhecido tanto por ser um surfista como ele é por ser um viajante. Ele passou anos na estrada, viajando. Na sua maior parte, sozinho.

Tudo começou por acaso. No início de sua carreira de surfista, quando corria a liga de acesso, na esperança de alcançar os grandes palcos do mundo do surf. Então, ele conheceu uma garota. Em uma de suas viagens para competir, mudou seu destino e decidiu viajar para vê-la.Visitei ela, e eu percebi que a viagem foi melhor para mim do que qualquer viagem que eu tinha feito para competir,” Disse ele a Surfer Magazine.  “Grande parte desta satisfação era porque eu fui sozinho, foi uma experiência vital.

A HORA DELE CHEGOU!

A hora do havaiano John John Florence de quem já falamos algumas várias vezes aqui:

do surf john john florence.jpg

E nesta terça-feira ele garantiu o título mundial, antes mesmo da última etapa do campeonato da elite mundial terminar. Na etapa de Portugal, o havaiano fez a sua parte e chegou à final depois de superar o californiano Kolohe Andino. Com a classificação,  John John acabou de vez com as chances matemáticas do brasileiro Gabriel Medina e passou a observar a outra semifinal, que reuniu o sul-africano Jordy Smith e o californiano Conner Coffin.

Jordy era o único atleta que poderia impedir o título mundial de John John e precisava vencer a prova em Supertubos, mas acabou derrotado e viu o havaiano fazer a festa antes mesmo da final da etapa portuguesa. Empolgado, o novo campeão mundial completou o show vencendo a final contra Conner Coffin.

do surf john john campeao.png

Trajetória de John John no circuito em 2016

John John Florence foi muito regular durante a temporada. Começou com o quinto lugar em Snapper Rocks e teve dois resultados ruins na sequência da perna australiana, ficando em 13o em Bells Beach e Margaret River.

Na etapa do Rio de Janeiro sagrou-se campeão. Em seguida, foi quinto em Fiji e conseguiu o vice-campeonato nas etapas em Jeffreys Bay e Teahupoo.

Em Trestles, Califórnia (EUA), John John amargou o seu terceiro resultado ruim no ano, ficando em 13o. O havaiano voltou a brilhar na França, onde ficou em terceiro lugar, e fecha com chave de ouro a sua participação na perna europeia chegando à decisão em Portugal.

ROUPA DE BORRACHA E PRANCHAS CUSTAM CARO E VOCÊ DEVE APRENDER A CONSERVA-LAS!

Bom, sabemos que faz parte da jornada de qualquer surfista comprar uma prancha e conforme a paixão pelo surf vai se tornando quase incontrolável chega a hora de fazer um investimento em uma roupa de borracha.do surf cuidados prancha e roupa 0.jpg

E por esse motivo e para que seu investimento não dure menos do que deveria separamos algumas dicas essenciais pra você conservar seu equipamento direitinho.

A água salgada é corrosiva e pode diminuir muito a vida útil da sua roupa e da sua pranchas, entãooooo vamos as dicas:

  • Água morna e detergente logo que chegar em casa são excelentes formas de lavar sua roupa [Relembre aqui as dicas específicas de como lavar sua roupa de borracha]
  • Uma bolsa de plástico [ou outro material menos prejudicial ao meio ambiente] é a melhor forma de transportar sua roupa. O ideal é que você tire a roupa em cima da sacola pra que já feche a sacola/bolsa quando terminar e leve a roupa com você.
  • Coloque a roupa em um cabide grosso e deixe ela secar, evitando que os ombros sejam danificados.
  • NUNCA deixe sua roupa ou sua prancha exposta no sol, você até pode deixar em algum lugar que tenha vento, mas nunca exposta diretamente ao sol pois este irá destruir seu equipamento.
  • Crie um armário de pranchas se não puder investir em um, o ideal é que elas fiquem separadas e as vezes só um pedaço de “prateleira” [como na imagem abaixo] pode resolver. No chão o ideal é colocar as pranchas apoiadas naqueles tapetes de yoga para não machuca-la.

CONHEÇA MILLA FERREIRA!

Nós, Do Surf, apoiamos [e muito!] o surf feminino. Queremos um mundo mais igual e com mulheres conectadas com seu melhor também com a natureza e por isso, nos juntamos com a equipe da Hina Aloha – nossas filosofias complementares vão nos ajudar com mais conteúdo e quem sabe descontos até para vocês!

Para dar início a essa parceria, vamos apresentar Milla Ferreira, uma representante importante do kitesurf feminino no Brasil. E pra irmos do começo, vale diferenciar o surf do kite surf e deixar claro como o esporte funciona:

do surf milla hina aloha 2.jpg

A origem: O kitesurf ganhou popularidade na década de 90, mas foi inventado há 5 anos antes, em 1985 por dois franceses: Bruno e Dominique Legaignoux.  Seu nome tem origem de duas palavras inglesas: Kite (pipa) e Surf – do verbo to surf (navegar).

O esporte: Utiliza-se de pipa [constituída do mesmo material do para-quedas] ou papagaio e uma prancha que tem como principal função dar suporte aos pés, levando o praticante a voar e deslizar sobre as águas, puxado pela pipa que se movimenta de acordo com a potência do vento. É comum dizerem que é um mix de windsurfe, surf e wakeboard.

Entendemos que o surf pode ser um esporte difícil, mas a história da Milla pode inspirar alguns a tentar seguir essa vertente da prática e quem sabe encontrar o esporte de sua vida!

TEMOS OITO PROVAS OFICIAIS DE QUE O FIM DE SEMANA DEVERIA TER 3 DIAS

Segunda-feira, para muitos é o mais odiado dos dias. Você chega no trabalho, desaba na sua mesa e espera a hora do almoço chegar. A ressaca pós fim de semana afeta a vida do trabalhador em qualquer parte do mundo, do Brasil ao Japão. Em 2005, uma pesquisa de uma universidade japonesa constatou um pico de 20% no número de ataques cardíacos – adivinha quando? – sim, na segunda-feira!

 do surf fim de semana 3 dias monday.gif
Para muitos, a volta da correria do trabalho somada ao período de descanso insuficiente explicam o ódio do trabalhador com o primeiro dia útil da semana. Depois de feriados prolongados, quando temos direito a 72 horas de descanso e relaxamento, é comum ter quem pergunte: e se fosse sempre assim? E se todo fim de semana tivesse três dias? Bem, essa ideia não é tão louca quanto parece. Listamos oito fatos que provam que faz sentido perseguir e lutar por essa dinâmica:

1 – Finais de Semana de 3 dias já existem por aí

A maior prova de que todo fim de semana poderia ser prolongado é porque essa é a realidade em algumas partes do mundo. Na Holanda, uma a cada três pessoas trabalha apenas 4 dias por semana. Segundo a BBC, no Reino Unido a semana de quatro dias é comum há muito tempo, pelo menos para algumas profissões.

Os Estados Unidos, país símbolo máximo da lógica “o trabalho engrandece o homem“, também já colocou o fim de semana prolongado em prática. No estado de Utah, em 2008, o governo reduziu um dia de trabalho, embora não tenha diminuindo a quantidade de horas trabalhadas na semana: continuaram 40, mas distribuídas por 4 dias. Três anos depois, o governo mudou e a medida foi desfeita, mas não porque as pessoas estivessem infelizes. Dois terços dos funcionários disseram na época que estavam mais felizes e também mais produtivos no trabalho.

Ok, é possível, mas só em países desenvolvidos“, você pode dizer. Então segura essa: no começo deste ano, Yahya Jammeh, o presidente da Gâmbia, na África ocidental, determinou que toda semana teria 3 dias de descanso para os funcionários públicos. Segundo ele, o dia a mais seria para cada trabalhador relaxar e orar, e realizar quaisquer outras atividades.

2 – Já temos muitos finais de semana prolongados

Até que os últimos anos não foram cheios de finais de semana prolongados, mas normalmente nós já temos muitos deles. Em 2012, por exemplo, foram nove. E isso só contando os feriados nacionais que caíram perto do começo ou do fim da semana – ainda é preciso colocar na conta os feriados municipais e estaduais.

E sabe aquela história de que brasileiro trabalha pouco e folga pouco? Mentira! Sequer estamos no topo do ranking de países com mais feriados. Este ano, russos, italianos, suecos, finlandeses, franceses e noruegueses folgaram mais do que o trabalhador brasileiro. Os japoneses também curtem um feriado, enquanto os norte-americanos costumam ter a mesma quantidade de folgas que a gente. Já estamos no meio do caminho quando o assunto é fazer todo fim de semana ter três dias. Por que não dar mais uns passos pra frente, alegrando de vez a galera?

3 – Muitas indústrias se daria bem

Há quem lembre do rombo na economia que finais de semanas maiores poderiam representar, afinal os dois dias de folga atuais já representam uma diminuição de 4% no PIB brasileiro, segundo alguns economistas. Só que isso não é regra para todos os setores. As indústrias do turismo e do entretenimento dariam pulos de alegria – três dias de cinemas lotados, overbooking nas empresas aéreas e tudo reservado nos hotéis [e motéis também].

Com um dia a menos de trabalho, as empresas também teriam menos gasto com energia. Utah, o estado norte-americano que testou o fim de semana de três dias, registrou uma queda de 13% no consumo elétrico! Pouco? O horário de verão gera uma economia bem menor: em torno de 5%.

ELE APRENDEU A SURFAR COM 30 ANOS: E ESSE É O SEU DEPOIMENTO

Afinal, nunca é tarde para um batizado de água puramente salgada.

Ok, sua ambição não era ser o próximo campeão mundial. E considerando que o esporte é bastante exigente, ele teve de aceitar que seria apenas um bom surfista, e nada além disso [isso também significa evolução].

do surf depois dos 30.jpg

Não foi um ato de coragem involuntário no abismo das possibilidades que o colocou em cima da prancha. Era um sábado de Julho quando um instrutor de surf o empurrou em sua primeira onda e ensinou a ele como remar, dropar e arquear as costas.

Mas não havia nenhum controle racional sobre aquele momento. Seu corpo apenas respondia com leveza e se movimentava apenas conectado pela beleza do oceano.

“POR QUE EU NÃO FIZ ISSO ANTES E POR QUE NÃO PASSEI A VIDA INTEIRA FAZENDO?!?!” Seu cérebro urrava e o professor [mais novo que ele] apenas sorria mostrando que entendia plenamente aquela sensação.

Essa primeira colherada de surf tinha sido TÃO saborosa que olhar pro instrutor era quase um ato sincero de inveja de pensar que ele fazia isso o dia inteiro… As dúvidas de uma cabeça preocupada com o tempo perdido começaram a surgir:

  • Quando virá a próxima onda?
  • Quanto tempo vai demorar para ficar de pé em todas elas?
  • Quando estarei pronto para pegar um tubo?
  • Esses caras vão realmente pegar TODAS as ondas?

Como preocupação e surf são itens antagônicos, claramente a onda seguinte foi catastrófica e o caldo sinistro. Ele tremeu, caiu da prancha e foi – literalmente – devorado pela onda.

do surf depois dos 30 1.jpg

Anos se passaram e a jornada se repetia. Muita remada e uma mente ambiciosa que ainda se fazia as mesmas perguntas… E a cada conquista? O desejo de ir atrás da próxima… Ficara de pé? Queria correr a onda! Correu a onda? Queria fazer manobras? Fez as manobras? Queria voar…

%d bloggers like this: