COMEÇAR A SURFAR DEPOIS DOS 30? ABSOLUTAMENTE POSSÍVEL [E REAL!]

ELE APRENDEU A SURFAR COM 30 ANOS: E ESSE É O SEU DEPOIMENTO! Afinal, nunca é tarde para um batizado de água puramente salgada.

Ok, sua ambição não era ser o próximo campeão mundial. E considerando que o esporte é bastante exigente, ele teve de aceitar que seria apenas um bom surfista, e nada além disso [isso também significa evolução].

do surf depois dos 30.jpg

Não foi um ato de coragem involuntário no abismo das possibilidades que o colocou em cima da prancha. Era um sábado de Julho quando um instrutor de surf o empurrou em sua primeira onda e ensinou a ele como remar, dropar e arquear as costas.

Mas não havia nenhum controle racional sobre aquele momento. Seu corpo apenas respondia com leveza e se movimentava apenas conectado pela beleza do oceano.

“POR QUE EU NÃO FIZ ISSO ANTES E POR QUE NÃO PASSEI A VIDA INTEIRA FAZENDO?!?!” Seu cérebro urrava e o professor [mais novo que ele] apenas sorria mostrando que entendia plenamente aquela sensação.

Essa primeira colherada de surf tinha sido TÃO saborosa que olhar pro instrutor era quase um ato sincero de inveja de pensar que ele fazia isso o dia inteiro… As dúvidas de uma cabeça preocupada com o tempo perdido começaram a surgir:

  • Quando virá a próxima onda?
  • Quanto tempo vai demorar para ficar de pé em todas elas?
  • Quando estarei pronto para pegar um tubo?
  • Esses caras vão realmente pegar TODAS as ondas?

Como preocupação e surf são itens antagônicos, claramente a onda seguinte foi catastrófica e o caldo sinistro. Ele tremeu, caiu da prancha e foi – literalmente – devorado pela onda.

do surf depois dos 30 1.jpg

Anos se passaram e a jornada se repetia. Muita remada e uma mente ambiciosa que ainda se fazia as mesmas perguntas… E a cada conquista? O desejo de ir atrás da próxima… Ficara de pé? Queria correr a onda! Correu a onda? Queria fazer manobras? Fez as manobras? Queria voar…

Era uma conexão corpo e mente que ele jamais experimentara. Estava viciado naquele sentimento maravilhoso. E quase se perdeu no vício… Ia em ondas grandes demais, e na ânsia de pegar as melhores, muitas vezes roubava dos outros. O fim era certo: ou o mar o machucaria, ou os demais surfistas o fariam.

Devagar, passou a ouvir o que o oceano tinha a dizer. Ele passou a esperar no lineup e ir aproveitando o que tinha pra si, se reconectou com seu corpo e o oceano e deixou o vício de lado. Passou a observar a natureza que o cercava com muito mais cuidado e admiração, sem a pressa do surfista que corre atrás do tempo.

do surf depois dos 30 2.jpg

Com o tempo, deixou de desejar ser o melhor surfista de 30 e poucos anos, e passou apenas a se divertir. Isso sim é surfar! E sim, ele esqueceu isso algumas vezes, mas foi só buscar a reconexão que tudo voltou ao normal.

Ele estava vivendo aquele momento
Naquele momento.
Ele era grato por isso.

Esquecer essa gratidão é pior do que ser um iniciante e além das lições do mar, ele teve que lidar com seu próprio julgamento.

Apesar de se frustrar muitas vezes, continuou aparecendo. Continuo comparecendo. E sabia o quanto era importante. E não deixou de praticar. Entendeu que tudo fazia parte de um aprendizado na vida. Mesmo nas horas maravilhosas e nas mais terríveis, aceitar os altos e baixos como um presente por seus esforços, foi transformador.

Nunca é tarde para começar algo. Mesmo que seja para começar a ouvir o que mundo e o universo tem a te dizer.

O oceano disse pra ter calma. Para respeitar seu corpo e se conectar com a água. O oceano disse para descansar e aproveitar a companhia de outros surfistas. E se ele se esquecia disso, rapidamente uma onda me lembrava.

E ele termina seu depoimento, sendo grato por cada dia surf, cada aprendizado, e claro, cada remada!

  2 comments for “COMEÇAR A SURFAR DEPOIS DOS 30? ABSOLUTAMENTE POSSÍVEL [E REAL!]

  1. kekefaria
    23 de Maio de 2017 às 22:53

    Entendo perfeitamente este texto: comecei a me aventurar nesse mundo maravilhoso e mágico do surfe no ano passado com 38. Sou natural de Goiânia e moro em Floripa há 9. Depois das primeiras a aulas gritei comigo mesmo: “por que demorei tanto para experimentar??!!”.
    Minha visão de mundo mudou completamente, muito mais conectado com a natureza​, ativo e alinhado com uma vida mais saudável (sem demonizar o bacon e a Coca Cola). Ainda estou naquela de surfista retoside, mas já dropo sozinho várias ondas. Estou longe do objetivo da independência​, mas continuo persistindo. Tive apoio de uma escola de surfe fantástica aqui na Barra da Lagoa – Floripa. Na ausência de brilhantismo, me agarro na persistência. Sou longe de ser e o melhor aluno, mas sou com certeza o mais dedicado.
    Aconselho não se subestimem. A nova vida pode começar com qualquer idade. Aloha!

    Liked by 1 person

    • 24 de Maio de 2017 às 11:19

      Que depoimento irado Rogério! Sua história pode servir de inspiração para muitos surfistas! Se quiser compartilha-la conosco para postarmos no blog basta enviar um e-mail para contato@equipedosurf.com !
      No mais, parabéns pela iniciativa e pela persistência, se aceitar aprendiz e continuar treinando realmente pode mudar a vida até dos mais conservadores.
      No surf não buscamos brilhantismo e sim perfeição. ✨💪🏻

      Gostar

Go For It!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: