SURF MATINAL: O QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER.

*Que essas palavras sejam entendidas como apenas uma perspectiva, ninguém tem a intenção de questionar nenhum ritual ou forçar alguma crença. Respeitamos o que cada um acredita e também a forma como acreditam!

do surf igreja religiao 1.jpg
Deus ajuda quem cedo madruga!” – essas palavras saiam da boca dos meus pais, da minha encolhida avó e com certeza de muitas pessoas ao redor do mundo. Os motivos que justificam a profecia dessas palavras tem uma relação direta ou indireta com respeito: respeito pelos compromissos matinais ou respeito pela exuberância da natureza no nascer do sol de cada manhã.

E foi assim que acabei dividindo o mundo em dois grupos de pessoas: Aquelas que acordam cedo para cumprir com seus deveres matinais: trabalho, compromissos gerais e idas à igreja e aquelas que acordam cedo e trocam uma noite de hedonismo por um dia bem aproveitado e uma manhã que possa ser contemplada em sua magnitude.

Não acho que nenhum dos dois grupos seja melhor do que o outro e também confesso que apesar de fazer parte do segundo grupo, ainda invejo quem consegue responder ao toque do despertador sem reclamar. No meu caso, acordaria 5 horas da manhã para ver se as ondas estão boas, mas se o despertador me alertar as 8:00 que o escritório me espera em 1 hora serei capaz de apertar o botão da soneca até meu dedo ficar dormente.

Imagino que aqueles que colocam suas meias e sapatos para se protegerem do frio me consideram louco por colocar meus pés descalços na água fria logo cedo. Eu caminho da areia até o mar, enquanto eles sobem suas escadas – o horário é cedo para todos. A missa e o expediente começam exatamente no mesmo momento em que a primeira onda quebra em minha frente e eu mergulho na água gelada e sinto meu corpo se energizar subitamente. É chegada a hora – que mais um dia comece!

E também vejo nossas semelhanças: ajoelho, como aqueles que ajoelham nas igrejas em frente ao mar, meu senhor – e penso em tudo que me gera arrependimento e as vezes, me desculpo também pelos meus excessos. Eles cobrem a pele com roupas fechadas para mostrar respeito a todos aqueles ao seu redor, e eu cubro meu corpo com a roupa de borracha que vai aquecer meu corpo e pego meu crucifixo gigante e coloco embaixo do braço pois será esse objeto valioso e sagrado que me dará equilíbrio para me conectar com o mar.

A minha primeira fila e minha mesa é o lineup, lá pode ser solitário ou cheio de estranhos e meu suspiro de alegria combina com meu sorriso de enxergar a primeira onda se formando lá no fundo. Enquanto há quem escute as palavras do seu senhor, o meu não costuma a falar claramente, mas fala alto – e ai que não ouvir!

Todos nós fechamos os olhos e deixamos aquela sensação de mais um dia começando circular. No meu caso os dilemas de hoje serão profundos e quem entrar comigo nesse santuário dificilmente irá se desvirtuar desse caminho salgado. Deixo os membros de longa data seguirem primeiro, respeitamos o próximo – porque como em qualquer religião ou cultura, temos regras.

Não é atoa que a água é que é benta. Não é atoa que as vezes só precisamos de alguns segundos em cima da onda para sermos cobertos por um véu invisível de renascimento e não tem nada demais se a sua religião for aquela a qual você acredita, tem fé e faz você ter vontade de corrigir seus erros antes do próximo desafio. E também se o seu fanatismo fizer você remar de volta a parte mais alta, onde circulam as almas mais puras, até seus braços se esgotarem.

Afinal não é de hoje que usamos a água do mar para limpar nossos pecados e enriquecer nossa alma.

Eu diria que sou fiel, fiel ao mar e confesso que acredito piamente em sua beleza, diria que sou discípulo dos ventos e sempre fico atento em seu movimento e não deixo de checar as palavras da Lua. Também me consideraria mais um dos filhos da maré e jamais deixaria de respeitar aqueles que remam comigo, que muitas vezes posso chamar de irmãos.

Acredite, seja grato e conserve dentro de você tudo que pode fazer de você uma pessoa melhor. O surf pode salvar a humanidade – e não pararemos de tentar!

Compartilhe seus rituais com a gente! E não deixe de se conectar com doses diárias do universo líquido no nosso Facebook e Instagram.

Inspired by The Inertia

Go For It!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: